Laboratórios não confirmam contaminação em sementes germinadas | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 06.06.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Laboratórios não confirmam contaminação em sementes germinadas

Demora para encontrar foco de transmissão da bactéria EHEC faz aumentar críticas às autoridades alemãs. Comissão Europeia deve oferecer ajuda financeira a produtores afetados pela crise.

Primeiras análises descartam brotos como foco de contaminação

Primeiras análises descartam brotos como foco de contaminação

A ministra alemã da Defesa do Consumidor, Ilse Aigner, manteve nesta segunda-feira (06/06) a recomendação para não se ingerir brotos, mesmo com os resultados até agora negativos sobre a presença da nova cepa da bactéria Escherichia coli nestes alimentos. Até que todos os exames descartem definitivamente os brotos como possível fonte de transmissão do agente que vem espalhando pânico na Europa, a população deve evitá-los, disse a ministra.

Da mesma maneira, alface, pepinos e tomates crus, sobretudo os produzidos no norte da Alemanha, estão na lista de alimentos que devem ficar longe das refeições – pelo menos, por enquanto. A demora em encontrar o foco da transmissão da Escherichia coli Enterohemorrágica (EHEC), no entanto, faz aumentar as críticas às autoridades do país.

Ministra Aigner: 'guerrra contra EHEC é nossa maior prioridade'

Ministra Aigner: 'guerrra contra EHEC é nossa maior prioridade'

Das 40 amostras vindas das hortas do distrito de Uelzen, apontadas pela secretaria da Agricultura da Baixa Saxônia, 23 tiveram resultado negativo para contaminação com EHEC. As outras ainda estão sendo avaliadas.

A ministra ressaltou que as amostras vindas das plantações trazem vestígios importantes que devem ser observados com todo o cuidado. Aigner acrescentou ainda que nenhum outro possível agente transmissor passará despercebido. Para os produtores de Uelzen, isso significa que a lista de clientes e os distribuidores serão cuidadosamente investigados e avaliados.

Em todo o país, produtores e importadores de sementes germinadas e seus subprodutos serão inspecionados. O objetivo é ter certeza de que nenhum produto contaminado possa estar disponibilizado no mercado. De acordo com a ministra alemã, as investigações prosseguirão em todos os níveis, para que a fonte da contaminação da temida bactéria seja definida e o surto seja freado. "Para o governo, a guerra contra a EHEC é a nossa maior prioridade", afirmou.

Ajuda financeira

Alemães devem continuar evitando vegetais crus

Alemães devem continuar evitando vegetais crus

Nesta terça-feira (07/06), em um encontro emergencial de ministros da Agricultura, em Luxemburgo, a Comissão Europeia vai solicitar aos Estados-membros uma compensação financeira especial para os produtores agrícolas afetados pela crise causada pela EHEC. "A comissão está analisando várias opções legais que abranjam compensações não apenas para produtores que fazem parte de cooperativas, mas também para aqueles independentes", afirmou Pia Ahrenkilde, porta-voz da Comissão.

Inicialmente, o governo alemão divulgou a informação de que os pepinos vindos da Espanha seriam o foco de transmissão da terrível bactéria – tese descartada dias depois, após testes realizados em laboratório. Por conta disso, a Espanha já declarou que vai pedir um indenização do governo alemão pelos prejuízos causados a seus agricultores – segundo a associação espanhola de exportadores de frutas e vegetais, as perdas teriam chegado a 225 milhões de euros por semana desde que foi instalada a crise do EHEC no continente.

Produtores de diversos países, no entanto, também vêm sendo afetados pela queda no consumo de vegetais. Agricultores da Alemanha, França, Holanda, Bélgica e Portugal também já pediram ajuda à Comissão.

Maior surto do pós-Guerra

Em toda a Alemanha, chega a 2.700 o número de casos confirmados e suspeitos de contaminação com a EHEC. Até agora, 22 pessoas morreram na Europa vítimas de complicações causadas pela bactéria.

Para o presidente do Instituto Federal de Avaliação de Riscos (BfR, sigla em alemão), Andreas Hensel, este já é o maior surto causado por esse tipo de bactéria que se tem notícia na Alemanha após a Segunda Guerra Mundial. Ele pediu à população um pouco mais de paciência até que se descubra a verdadeira fonte de transmissão da doença.

MS/dapd/afp/dpa
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais