Líderes europeus veem em Obama novas chances de cooperação | Notícias internacionais e análises | DW | 20.01.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Líderes europeus veem em Obama novas chances de cooperação

Chefes de Estado e de governo europeus veem em Obama novas chances de cooperação para resolver problemas mundiais. Entre eles o presidente da Alemanha, Horst Köhler, que convidou Barack Obama para uma visita.

Obama prestou juramento ao lado da família

Obama prestou juramento ao lado da família

No telegrama de cumprimentos enviado a Washington nesta terça-feira (20/01), o presidente da Alemanha, Horst Köhler, escreveu ao novo presidente Barack Obama que seu país está aberto para uma política internacional nova e cooperativa. Paz e liberdade, bem-estar e meio ambiente só podem ser protegidos e assegurados pela responsabilidade coletiva, escreveu o presidente alemão.

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, disse esperar uma melhor cooperação internacional do novo presidente dos Estados Unidos. "Espero que nossa colaboração seja caracterizada por escutar um ao outro e tomar decisões com base no princípio de que um país sozinho não pode resolver os problemas do mundo. É nesse espírito que quero encontrá-lo", disse Merkel à emissora de televisão alemã ARD.

Na opinião de Karsten Voigt, coordenador das relações Alemanha-Estados Unidos junto ao governo alemão, a mudança de governo nos EUA é "uma grande chance que deve ser aproveitada".

Voigt citou dois aspectos que chamaram sua atenção no discurso de posse de Obama: "Diferentemente de Bush, Obama não destacou que os Estados Unidos são uma potência militar, mas falou do potencial dos EUA em resolver conflitos. Por outro lado, ele sempre falou 'nós' , no coletivo, e nunca na primeira pessoa".

der französische Präsident Nicolas Sarkozy Armutsbekämpfung

Presidente francês Nicolas Sarkozy

Em entrevista à emissora de televisão alemã N24, Voigt disse que as prioridades da cooperação internacional com o novo governo norte-americano deveriam ser a questão ambiental, os desarmamentos nuclear e convencional, além do diálogo com o Irã e a Síria.

Novo capítulo na história

Em sua mensagem a Obama, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, ofereceu trabalhar "de mãos dadas" para vencer os "enormes desafios" mundiais. Já o premiê britânico, Gordon Brown, considera Obama "um novo capítulo na história americana e mundial". Não somente por Obama ser o primeiro presidente negro, como também por estar decidido a resolver os problemas do mundo, destacou Brown.

O primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodriguez Zapatero, declarou que a posse alimenta a esperança de que o diálogo e a paz passarão a ter um papel mais importante em futuros conflitos internacionais.

O chefe do governo italiano, Silvio Berlusconi, conclamou a cooperação de Obama para enfrentar os atuais desafios. As prioridades, segundo Berlusconi, são a crise financeira mundial e as situações no Oriente Médio e no Afeganistão.

Expectativas europeias

Belgien EU Konferenz in Brüssel zur Integration von Sinti und Roma Barroso

Durão Barroso, presidente da Comissão Européia

Também a União Europeia (UE) espera uma maior cooperação com os Estados Unidos nesses campos. "O trabalho conjunto é um dos melhores caminhos para atender às necessidades e esperanças das pessoas dos dois lados do Atlântico", ressaltou a presidência tcheca do bloco.

Para o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, a mudança de governo é uma grande mudança para os Estados Unidos e possivelmente para o resto do mundo.

O alto representante de Política Externa e de Segurança Comum da (UE), Javier Solana, disse esperar que a chegada de Barack Obama à presidência dos Estados Unidos "abra uma perspectiva mais multilateral, mais otimista e muito mais dinâmica" em prol da solução dos problemas de um mundo globalizado.

Leia mais