Líbia vive dias de guerra civil | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 05.03.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Líbia vive dias de guerra civil

Confrontos entre rebeldes e tropas leais a Kadafi agravam-se e provocam dezenas de mortos. A Líbia entra em estado de guerra civil, com violentos combates pelo domínio de pontos estratégicos do país.

default

Protestos deram lugar à luta armada na Líbia

Os confrontos entre adversários e aliados de Muammar Kadafi são cada vez mais graves na Líbia. O estado é de guerra civil. Após violentos combates no início da manhã de sábado (05/03), as forças leais ao ditador líbio se retiraram do centro da cidade de Zawyia, situada a 50 quilômetros oeste da capital, Trípoli.

De acordo com testemunhas ouvidas pela emissora árabe Al-Jazeera, os rebeldes conseguiram rechaçar os ataques das tropas governamentais, munidas de tanques e artilharia pesada. Uma grande multidão reuniu-se, segundo os presentes, na Praça dos Mártires, região central da cidade, para comemorar a vitória sobre os soldados de Kadafi.

Os aliados do regime retiraram-se para áreas mais afastadas, supostamente em preparação para uma outra investida, de acordo com uma testemunha. Os combates da manhã foram sangrentos, segundo os relatos, embora não haja informações confirmadas sobre vítimas fatais. Os hospitais contabilizaram o número de feridos entre 150 e 150 pessoas. De acordo com moradores, atiradores de elite posicionados em telhados de edifícios também teriam disparado em pessoas na rua.

Médicos contam ao menos 60 mortos em dois dias de luta

Os combates entre homens de Kadafi e insurgentes começaram na sexta-feira. Somente neste dia, pelo menos 30 pessoas teriam morrido em Zawyia, conforme informações não confirmadas. Segundo um médico, pelo menos outras 30 pessoas, a maioria civis, teriam sido mortas neste sábado. A fonte informou, entretanto, que o número de vítimas deve ser maior.

Libyen Unruhen Soldat Armee Protest Demonstration Benghasi

Soldados rebeldes e civis posam diante de tanque

Após o ataque dos rebeldes na sexta-feira à cidade portuária e petrolífera de Ras Lanuf, a leste de Tripoli, as forças leais ao regime voltaram no sábado a assumir a iniciativa de recuperar um dos últimos enclaves petrolíferos da costa da Líbia que permanecem nas mãos de Kadafi.

Enquanto os revoltosos mantêm Zawyia sob controle, a terceira maior cidade da Líbia, e grande parte da região leste do país, detentora da maior parcela dos poços petrolíferos, Kadafi mantém o controle da capital, Trípoli, e do oeste do país.

As forças leais ao líder líbio bombardearam ao entardecer da sexta-feira um depósito de munições nas proximidades de Bengazi, matando pelo menos 32 pessoas e causando dezenas de feridos, segundo números provisórios fornecidos pelos médicos.

Oposição reúne Conselho Nacional

O "Conselho Nacional", criado pela oposição para derrubar Kadafi e preparar uma transição política, terá neste sábado sua primeira reunião formal, num local não revelado, disse um porta-voz. O local e a hora do encontro não foram divulgados por questões de segurança.

O ex-ministro da Justiça Mustafa Abdul Yalil, que foi dos primeiros membros do regime a ser convidado para se juntar à oposição, logo no início da revolta, é o presidente deste conselho de 30 membros, criado na última terça-feira.

A oposição anunciou a criação de conselhos locais nas cidades "libertadas" e de um "Conselho Nacional", que funcionará como um governo de transição até a organização de eleições livres.

MD/lusa/rtr/dpa

Revisão: Soraia Vilela

Leia mais