Kim Jong-un está em estado grave após cirurgia, diz mídia | Notícias internacionais e análises | DW | 21.04.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Kim Jong-un está em estado grave após cirurgia, diz mídia

Notícia foi veiculada na imprensa dos EUA. Coreia do Sul, entretanto, diz não ter detectado "atividades incomuns" no governo do país vizinho, e autoridades chinesas afirmam não acreditar que Kim esteja gravemente doente.

Kim Jong-un discursa num púlpito

Kim faltou à celebração do aniversário do avô dele, no feriado mais importante do país

Autoridades sul-coreanas e chinesas lançaram dúvidas nesta terça-feira (21/04) sobre notícias de que o líder norte-coreano Kim Jong-un estaria doente, depois que veículos de comunicação terem noticiado que ele estaria em estado grave depois de um "procedimento cardiovascular".

O Daily NK, um site mantido por desertores do regime norte-coreano e baseado em Seul, afirmou na tarde de segunda-feira, citando uma fonte não identificada na Coreia do Norte, que Kim estava se recuperando após ter sido submetido ao procedimento em 12 de abril. Acredita-se que o líder coreano tenha cerca de 36 anos.

"Estamos monitorando essas notícias com muita atenção", afirmou o assessor de segurança nacional do presidente Donald Trump, Robert O'Brien, em entrevista à Fox News nesta terça-feira.

A emissora CNN citou um funcionário dos EUA cujo nome não foi divulgado, que teria dito que Washington tem informações de inteligência relatando que Kim estaria em estado grave depois de uma cirurgia.

A agência de notícias Bloomberg News citou separadamente uma fonte anônima do governo americano que disse que a Casa Branca foi informada de que o estado de Kim piorou após a cirurgia.

Muitas vezes surgem especulações sobre a liderança da Coreia do Norte com base em participação em eventos importantes do Estado. Kim não participou da celebração do aniversário do avô dele e fundador da Coreia do Norte, Kim Il-sung, em 15 de abril, o feriado mais importante do país. Analistas haviam atribuído a ausência dele no evento à pandemia de coronavírus.

Mas ele presidiu uma reunião em 11 de abril, na qual foi discutida a prevenção ao coronavírus e foi eleita a irmã dele como membro suplente da bureau político do Partido dos Trabalhadores, de acordo com o agência de notícias oficial do país. E a mídia estatal tem desde então relatado que ele enviou saudações ao presidente sírio, Bashar al-Assad, e ao presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, bem como a organizou refeições de aniversário para autoridades norte-coreanas.

Autoridades do governo sul-coreano afirmaram não ter detectado atividades incomuns na Coreia do Norte. O escritório presidencial da Coreia do Sul afirmou que Kim parece estar lidando com assuntos do Estado como de costume e que não possui informações sobre rumores em relação à sua saúde.

"Não temos informações para confirmar rumores sobre a questão de saúde de Kim Jong-un divulgados por alguns meios de comunicação", afirmou o porta-voz presidencial sul-coreano Kang Min-seok. "Além disso, nenhum desenvolvimento incomum foi detectado dentro da Coreia do Norte.''

O escritório presidencial disse mais tarde acreditar que Kim esteja em um local não especificado fora de Pyongyang, capital da Coreia do Norte, com alguns assistentes mais próximos. Afirmou também que o líder norte-coreano parece estar despachando normalmente.

Kim é o líder inquestionável da Coreia do Norte e o único comandante do seu arsenal nuclear. Ele não tem um sucessor claro, e qualquer instabilidade no país pode significar um grande risco internacional.

A agência de notícias estatal KCNA não deu nenhuma indicação de algo anormal nos despachos de rotina de Kim na terça-feira, mas disse que ele enviou presentes de aniversário a cidadãos importantes.

Um funcionário do departamento de laços internacionais do Partido Comunista Chinês, que lida com a Coreia do Norte, disse à agência de notícias Reuters não acreditar que Kim esteja gravemente doente. A China é o principal aliado da Coreia do Norte.

O porta-voz do Ministério do Exterior da China, Geng Shuang, disse que Pequim está ciente dos relatos sobre a saúde de Kim, mas  que não conhece a fonte da informação e não comentou se tem alguma informação sobre a situação.

O Daily NK disse que Kim havia sido internado no hospital em 12 de abril, poucas horas antes do procedimento cardiovascular, já que sua saúde se deteriorou desde agosto devido ao fumo intenso, obesidade e excesso de trabalho. O portal afirmou que o líder está recebendo tratamento em uma mansão no monte Myohyang, um resort ao norte da capital Pyongyang.

MD/rtr/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais