Justiça italiana pede julgamento imediato de Berlusconi | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 09.02.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Justiça italiana pede julgamento imediato de Berlusconi

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, é acusado de ter pago uma menor em troca de sexo, além de abuso de poder. Juíza em Milão vai decidir se abre processo contra Berlusconi.

default

Caso seja condenado, Berlusconi pode ser sentenciado a até 15 anos de prisão

A Procuradoria Geral de Milão pediu nesta quarta-feira (9/2) o julgamento imediato do primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, acusado de crimes de prostituição de menores e de abuso de poder no caso "Rubygate".

O pedido de julgamento imediato tem agora que ser deferido por outro magistrado do Tribunal de Milão – o juiz de inquéritos preliminares – e é um procedimento acelerado que se baseia numa "prova evidente".

Agora, uma juíza de Milão tem prazo de pelo menos cinco dias para decidir sobre a abertura de um processo contra Berlusconi, de 74 anos. Caso seja condenado, o premiê italiano pode pegar até 15 anos de prisão.

Segundo um inquérito aberto em 21 de dezembro último, Berlusconi é suspeito de ter pago para ter relações sexuais com uma marroquina conhecida como Ruby, na época com 17 anos de idade.

"Sobrinha de Mubarak"

Além disso, ele é acusado de abuso de poder, por ter libertado Ruby após ela ser detida em maio do último ano por um suposto roubo. Berlusconi teria alegado que ela era sobrinha do presidente egípcio, Hosni Mubarak.

Ruby Rubacuori Italien Berlusconi

A dançarina Ruby é personagem de possível processo contra Berlusconi

Depois de ser investigada, a dançarina Ruby teria participado, em troca de dinheiro, com outras jovens, de festas organizadas na mansão Villa Arcore, de Berlusconi, localizada próxima a Milão.

O premiê italiano nega todas as acusações. Seus advogados afirmam que o prosseguimento da acusação é inconstitucional, isso porque os promotores de Justiça não seriam competentes para o caso.

Além disso, os advogados defendem que Berlusconi interveio a favor de Ruby por estar convencido de que ela era "sobrinha de Mubarak" e, portanto, para preservar as relações entre os dois países.

Outro processo

O Tribunal de Milão havia anunciado nesta terça-feira que irá retomar no dia 11 de março o processo contra o primeiro-ministro italiano por corrupção, que foi suspenso em abril de 2010 graças a uma lei que lhe concedeu imunidade por 18 meses.

Neste processo, o Ministério Público acusa Silvio Berlusconi de ter "comprado" por 600 mil dólares um falso testemunho de seu antigo advogado britânico David Mills em dois processos dos anos 1990.

FC/lusa/dpa/rtr

Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais