Justiça alemã liberta ex-terrorista da RAF | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 10.06.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Justiça alemã liberta ex-terrorista da RAF

A ex-terrorista da RAF Birgit Hogefeld poderá deixar a prisão. Um tribunal de Frankfurt determinou a libertação, para que ela cumpra o resto da pena em liberdade condicional, após ter cumprido 18 anos de sua sentença.

Birgit Hogefeld, em foto de 1994

Birgit Hogefeld, em foto de 1994

A ex-terrorista da RAF Birgit Hogefeld pode sair da prisão nos próximos dias. Um tribunal regional na cidade de Frankfurt determinou nesta sexta-feira (10/06) que Hogefeld, de 54 anos, seja solta, para cumprir o resto de sua pena em liberdade condicional.

Ela fora condenada à prisão perpétua por diversos assassinatos. Hogefeld já havia cumprido 18 anos de sua sentença. Conforme a lei alemã, uma sentença de prisão perpétua pode ser convertida em liberdade condicional após 15 anos.

Em 2008, a mesma corte havia fixado em 18 anos o tempo mínino de cumprimento da pena de prisão para Hogefeld. Em sua decisão, a Justiça levou em consideração que "a condenada se distanciou claramente da RAF e assumiu pessoalmente a responsabilidade pelos crimes cometidos". Hogefeld já está desde 2009 em regime prisão aberta. A penitenciária em que a terrorista se encontra diz "não ter objeções" ao seu comportamento.

Terceira geração da RAF

Presa em junho de 1993, Hogefeld foi, entre 1984 e 1993, uma das principais integrantes da terceira geração dos terroristas de esquerda da Facção do Exército Vermelho (RAF), cujos crimes na década de 1980 ainda não foram totalmente esclarecidos.

Entre as principais vítimas dos atentados estão o diretor do Deutsche Bank, Alfred Herrhausen, morto em 1989, e o gerente da Siemens Karl-Heinz Beckurts, assassinado em 1986, além do presidente da Treuhand, Detlev Karsten Rohwedder, morto em 1991.

No ano passado, o então presidente da Alemanha, Horst Köhler, negou um pedido de indulto à última terrorista da RAF ainda presa. Durante o regime de prisão aberta, Hogefeld estudou, em uma universidade à distância, Literatura e Psicologia Social e trabalha agora em sua dissertação de final de curso.

MD/afp/dpa/dapd
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais