Juncker substitui Durão Barroso como presidente da Comissão Europeia | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 01.11.2014
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Juncker substitui Durão Barroso como presidente da Comissão Europeia

José Manuel Durão Barroso é sucedido por Jean-Claude Juncker no cargo de presidente da Comissão Europeia. Para o político luxemburguês, o crescimento econômico e a criação de empregos são prioridades.

default

Juncker (esq.) vai priorizar o crescimento econômico e a criação de empregos

Além do novo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, sete vice-presidentes e 20 novos comissários europeus assumiram oficialmente os seus cargos no sábado (01/11), em Bruxelas. O mandato da nova Comissão vai até 31 de outubro de 2019.

"Agora é hora de arregaçar as mangas e trabalhar. Os desafios da Europa não podem esperar", afirmou Juncker em declaração emitida por seu gabinete, no início de seus cinco anos de mandato em Bruxelas. "A partir de hoje, eu e a minha equipe vamos trabalhar duro para proporcionar à Europa o recomeço que havíamos prometido."

Sob a supervisão de Juncker, os sete vice-presidentes irão coordenar e controlar o trabalho dos demais 20 comissários e também dos 35 mil funcionários da Comissão. Os vices formam grupos de trabalho de acordo com o assunto em questão, reunindo os comissários interessados no tema.

Antes de assumir o cargo, Juncker afirmou que a criação de empregos e o crescimento econômico seriam as suas maiores prioridades. Entre as primeiras medidas concretas, Juncker prometeu lançar até o Natal deste ano um pacote de estimulo à economia na ordem de 300 bilhões de euros.

Austeridade x estímulo

Essa decisão foi tomada apesar das diferenças entre as maiores economias do bloco europeu sobre o caminho correto a ser seguido. Enquanto a Alemanha e outros países pedem mais austeridade econômica, como forma de reduzir o endividamento público, o governo do presidente francês, François Hollande, defende a ideia de mais gastos e investimentos como forma de voltar ao bem-estar econômico.

A nova Comissão Europeia deu início oficialmente aos seus trabalhos neste sábado, após meses de disputas políticas em torno das principais nomeações.

O primeiro vice-presidente, o ex-ministro do Exterior dinamarquês Frans Timmermans, vai ser o braço-direito de Juncker, enquanto outra ex-ministra do Exterior, a italiana Federica Mogherini, irá substituir a britânica Cahterine Ashton à frente da diplomacia e política de segurança do bloco formado por 28 países.

O eslovaco Maros Sefcovic assumiu do alemão Günther Oettinger o cargo de comissário europeu da Energia. Oettinger continuará na Comissão à frente da pasta relativa à Economia Digital e Sociedade. Outras nomeações importantes foram a escolha do francês Pierre Moscovici para a pasta da Economia e a indicação do finlandês Jyrki Katainen para o cargo de comissário europeu do Emprego e Crescimento.

CA/dpa/afp

Leia mais