João de Deus é preso em Goiás | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 16.12.2018

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

João de Deus é preso em Goiás

Acusado por mais de 300 mulheres de abuso sexual durante sessões espirituais, médium de 76 anos se entrega à polícia. Advogados prometem entrar com habeas corpus.

Médium João de Deus chega escoltado à Casa de Dom Inácio de Loyola em 12/12/2018

João de Deus chega escoltado à Casa de Dom Inácio de Loyola em 12/12/2018

O médium João de Deus entregou-se à polícia de Goiás e foi preso na tarde deste domingo (16/12). Segundo o jornal Folha de São Paulo, após negociações entre seu advogado Alberto Toron e o delegado-geral da Polícia Civil, André Fernandes, ele se apresentou na encruzilhada de uma estrada de terra no município de Abadiânia, próximo à BR-060.

O fundador da Casa de Dom Inácio de Loyola é suspeito de abusar sexualmente de mulheres durante os atendimentos espirituais. Ele havia se escondido em local desconhecido desde que o pedido de prisão temporária feito pelo Ministério Público de Goiás foi aceito pela Justiça na sexta-feira. Considerado foragido pela força-tarefa que investiga o caso desde as 14h do dia seguinte, seu nome foi encaminhado à lista de procurados da Interpol.

Quer receber as notícias da DW no Whatsapp? Clique aqui

Segundo o MP goiano, o médium, cujo nome civil é João Teixeira de Faria, retirou 35 milhões de reais de contas e aplicações financeiras após as primeiras denúncias. A informação acelerou a decretação da prisão preventiva.

Os advogados que o representam classificam a ordem de prisão preventiva como ilegal e injusta, e prometeram impetrar habeas corpus contra a decisão judicial. Segundo eles, "apenas alguns depoimentos, de poucas vítimas, acompanham o pedido de prisão preventiva, ainda assim, sem os seus nomes".

No início da semana, a Promotoria criou uma força-tarefa para recolher as numerosas denúncias de abusos sexuais contra o médium, inclusive por mais de 300 mensagens eletrônicas. Os casos começaram a vir a público após 13 mulheres denunciarem o médium no programa Conversa com Bial, da TV Globo, e ao jornal O Globo.

A partir daí, outras mulheres que afirmam ser vítimas do médium começaram a procurar as autoridades e a imprensa. Ao todo somaram-se mais de 330 denúncias de vítimas no Brasil, além de Alemanha, Austrália, Bélgica, Bolívia, Estados Unidos e Suíça. 

João de Deus, de 76 anos, realiza cultos espirituais desde 1976, sendo responsável por supostas "curas milagrosas" na Casa Dom Inácio de Loyola, uma espécie de templo que se tornou ponto de peregrinação de milhares de pessoas todos os meses.

A reputação de João de Deus transcende as fronteiras brasileiras – o médium conta com seguidores em vários países estrangeiros. Em 2013, por exemplo, a célebre apresentadora americana Oprah Winfrey exibiu um documentário sobre o líder espiritual. Depois das acusações, Oprah removeu o conteúdo de seu canal no Youtube.

Os dois últimos presidentes brasileiros, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, e o atual chefe de Estado, Michel Temer, também procuraram as consultas espirituais de João de Deus por questões de saúde.

AV/abr,ots

____________

Correção: 18/12/2018

Uma versão anterior desta reportagem afirmava que o médium João de Deus é seguidor da doutrina espírita, fundada em meados do século 19 pelo francês Allan Kardec. Na realidade, João de Deus se declara católico e não prega a doutrina kardecista na Casa Dom Inácio de Loyola. O respectivo parágrafo foi removido.

____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais