Jacinda Ardern se torna premiê mais popular da Nova Zelândia em um século | Notícias internacionais e análises | DW | 19.05.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Jacinda Ardern se torna premiê mais popular da Nova Zelândia em um século

Primeira-ministra impôs rígida quarentena para conter pandemia no estágio inicial. Dois meses depois, país registra só 21 mortes, e comércio pôde reabrir. Medidas também aumentaram popularidade do partido da premiê.  

Jacinda Ardern

Jacinda Ardern está no poder desde 2017

Jacinda Ardern se tornou a primeira-ministra mais popular da Nova Zelândia em um século, graças à reação do seu governo à covid-19, que fez do país um dos mais bem-sucedidos na contenção da doença, segundo uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (18/05).

Esta foi a primeira pesquisa pública desde que a crise do coronavírus chegou ao país. De acordo com os resultados, 59,5% dos neozelandeses veem Ardern como a melhor pessoa para ocupar o cargo de premiê, um crescimento de 20,8 pontos em relação à última pesquisa. É a cifra mais alta de qualquer líder na história dos levantamentos do instrituto Reid Research, responsável pela pesquisa.

Os números também mostraram que a popularidade do Partido Trabalhista de Ardern aumentou 14 pontos percentuais, chegando a 56,5% – a maior já registrada por um partido em toda a história da Nova Zelândia.

Em contrapartida, o Partido Nacional, que detém o maior bloco individual de deputados do Parlamento, perdeu 12,7 pontos e registra 30,6% de aprovação.

A enquete foi realizada entre 8 e 16 de maio, e metade das respostas foi obtida após a sanção do orçamento federal na quinta-feira.

A enquete ocorreu nos últimos dias de isolamento de nível três do país, que também teve apoio maciço – 92% dos entrevistados disseram ter sido a decisão correta.

A nação do Pacífico ficou confinada durante mais de um mês com restrições de "nível quatro", que duraram entre 25 de março e 27 de abril. No início da pandemia, a Nova Zelândia fechou suas fronteiras e impôs uma quarentena estrita de um mês de duração logo após o início do surto. O primeiro caso no país foi detectado em 28 de fevereiro de 2020.

As medidas mostraram resultado. Em 4 de maio, pela primeira vez desde meados de março, a Nova Zelândia não registrou novos casos de coronavírus. Desde então, só mais dez casos foram confirmados. O país de quase 5 milhões de pessoas somou ao longo da poandemia 1.153 casos confirmados e prováveis de covid-19 e 21 mortes.

Estabelecimentos comerciais, como shopping centers, cinemas, cafés e academias, reabriram finalmente na última quinta-feira, mas o país ainda vem estimulando medidas de distanciamento social.

JPS/rtr/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais