Itália aperta restrições para frear avanço da pandemia | Notícias internacionais e análises | DW | 25.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Itália aperta restrições para frear avanço da pandemia

Bares e restaurantes terão que parar de atender clientes a partir de 18h. Academias, cinemas e teatros serão fechados. Regiões que concentram grandes cidades impõem toque de recolher noturno.

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, anunciou neste domingo (25/10) uma série de novas restrições no país europeu, que vem registrando seguidos recordes diários de novos casos diários de covid-19.

Cinemas, teatros, academias e piscinas deverão fechar sob as novas regras que entrarão em vigor na segunda-feira, enquanto bares e restaurantes terão que deixar de servir a partir de 18h, informou o gabinete do primeiro-ministro.

Conte disse que as medidas visam proteger a saúde pública e a economia e devem ser eficazes para que a curva ascendente da epidemia seja controlada nas próximas semanas. "Achamos que sofreremos um pouco este mês, mas ao cerrar os dentes com essas restrições, poderemos respirar novamente em dezembro", disse ele em entrevista coletiva.

Apesar da imposição das novas medidas, o governo ainda espera evitar um confinamento geral como o que ocorreu na primeira onda da doença. O novo decreto incentiva as pessoas a não saírem e a limitarem os contatos em casa com qualquer pessoa fora de sua família imediata, mas permite que as lojas e a maioria dos negócios permaneçam abertos.

A Itália registrou um recorde de cerca de 20 mil novos casos de covi-19 nas últimas 24 horas. O país, que foi duramente afetado pela pandemia em março e abril, totaliza 500 mil casos e 37 mil mortos.

Zweite Coronawelle in Italien

Protesto contra toque de recolher em Roma

Nos últimos dias, três regiões que concentram as cidades mais populosas do país adotaram um toque de recolher entre 23h e 5h: Lazio (Roma), Lombardia (Milão) e Campanha (Nápoles). Ao menos outras duas regiões, Piemonte e Sicília devem seguir o mesmo caminho na próxima semana.

Nem todos estão satisfeitos com as novas medidas. Na madrugada de sábado para domingo, dezenas de manifestantes de extrema direita protestaram contra o toque de recolher e enfrentaram a polícia no centro de Roma.

Os manifestantes esperaram até um minuto antes da meia noite para lançar fogos de artifício com as cores da bandeira italiana contra a polícia. Sete deles foram detidos e dois policiais ficaram feridos. Em Nápoles, haviam sido registrados incidentes similares na noite anterior.

JPS/afp/rt

Leia mais