1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Ministro do Exterior iraniano, Mohammad Javad ZarifFoto: R. Wilking/AFP/Getty Images

Irã chama exigência dos EUA de "inaceitável"

3 de março de 2015

Ministro do Exterior iraniano critica proposta de Obama de que Teerã congele programa nuclear por dez anos. Alemanha indica avanço nas conversações com o Irã, e EUA afirmam que "não existe alternativa" às negociações.

https://www.dw.com/pt-br/ir%C3%A3-chama-exig%C3%AAncia-dos-eua-de-inaceit%C3%A1vel/a-18290913

O Irã classificou nesta terça-feira (03/03) de "inaceitável" a exigência do presidente americano, Barack Obama, de que Teerã congele suas atividades nucleares por ao menos dez anos.

"A postura de Obama [...] está expressa em palavras inaceitáveis e ameaçadoras [...] O Irã não aceitará exigências excessivas e ilógicas [...] Teerã irá continuar as negociações com as seis potências mundiais", disse o ministro do Exterior iraniano, Mohammad Javad Zarif, segundo a agência semi-oficial de notícias Fars.

Em entrevista concedida à agência de notícias Reuters nesta segunda-feira, Obama havia dito que o Irã deveria se comprometer a uma paralisação verificável de seu programa nuclear para que as negociações com as seis potências mundiais levem a um acordo.

Enquanto isso, na cidade suíça de Montreux, o secretário de Estado americano, John Kerry, e o colega de pasta iraniano Javad Zarif dão prosseguimento às conversações sobre o programa nuclear iraniano.

Também nesta terça-feira, o ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, declarou durante a Conferência da ONU sobre Desarmamento, em Genebra, que as negociações sobre o controverso programa nuclear iraniano avançaram mais neste ano do que na última década inteira.

Referindo-se às negociações entre o Irã e as seis potências mundiais, Steinmeier disse ao fórum: "As conversações entre o grupo dos países E3+3 [Alemanha, França e Reino Unido + Rússia, China e EUA] e o Irã também estão avançando bem. Eu me atreveria a dizer que, em dez anos de negociações, nunca fizemos tantos progressos como neste ano."

Pouco antes do discurso do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, perante o Congresso americano nesta terça-feira, o governo americano também rebateu as críticas de Netanyahu às negociações nucleares com Teerã.

Susan Rice, assessora de Segurança Nacional da Casa Branca, afirmou à organização lobista pró-Israel Aipac, que "não existe alternativa" às negociações com o objetivo de impedir permanentemente o Irã de desenvolver armas nucleares.

CA/afp/dpa/rtr