Imprensa europeia repercute queda de viaduto em Belo Horizonte | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 04.07.2014
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

Imprensa europeia repercute queda de viaduto em Belo Horizonte

Acidente na cidade-sede da Copa do Mundo deixou dois mortos e foi destacado como falha nos preparativos para o Mundial. Causa do desastre ainda é desconhecida.

Após o colapso de um viaduto em construção em Belo Horizonte nesta quinta-feira (03/07), a notícia ganhou destaque na imprensa europeia. Até a noite, a Secretaria de Saúde de Minas Gerais registrou 21 feridos e dois mortos (uma morte confirmada e uma presumida).

"Desastre numa cidade-sede da Copa", escreveu a revista alemã Der Spiegel. "O viaduto ainda estava em construção e era parte das obras de expansão bilionárias do transporte público no contexto da Copa do Mundo. Ele deveria ampliar a rede de faixas exclusivas de ônibus, mas não ficou pronto a tempo do Mundial."

O Süddeutsche Zeitung também destacou que o viaduto foi construído "no contexto da Copa do Mundo". "No cruzamento atingido, a imagem era de destruição. [...] Vários helicópteros sobrevoavam o local do desastre, que fica a menos de dez quilômetros do estádio do Mineirão", escreveu o jornal alemão.

O britânico The Guardian destacou que o acidente foi "o pior desde que o Mundial começou, em 12 de junho". Depois que o Brasil foi escolhido, em 2007, para sediar esta Copa do Mundo, "políticos prometeram que bilhões seriam gastos em 56 aeroportos, linhas de metrô e outros projetos pelo país. Mas menos de dez desses projetos de infraestrutura foram abertos a tempo do torneio", cita o diário.

O espanhol El País lembrou que o acidente desta quinta-feira foi precedido de "outros incidentes que marcaram a preparação para o Mundial: no total, nove trabalhadores perderam a vida em trabalhos de construção ou reformas dos estádios da Copa."

O desastre

Por volta das 15h30, o viaduto – que ainda estava em obras e fica a cerca de cinco quilômetros do estádio do Mineirão – ruiu, atingindo um micro-ônibus, um carro e dois caminhões. A morte confirmada é do motorista do micro-ônibus, e a presumida, do motorista do carro, que ficou preso debaixo do viaduto. Entre os 21 feridos, estavam três trabalhadores da obra e uma menina de cinco anos.

A presidente Dilma Rousseff manifestou "solidariedade para com as famílias das vítimas. "O governo coloca-se à disposição da câmara (municipal) e das autoridades de Belo Horizonte para tudo o que for necessário", escreveu no Twitter.

O viaduto passa sobre a Avenida Pedro 1°, que é uma das vias de acesso ao Aeroporto de Confins e ao Estádio Mineirão. A ponte estava em fase de acabamento e seria entregue no final do mês. O motivo do desabamento ainda é desconhecido.

No início de fevereiro, outro viaduto do mesmo complexo de obras para a instalação do sistema de transporte rápido por ônibus (BRT), o Montesi, teve que ser interditado devido a um problema estrutural – parte do viaduto em construção se deslocou, lateralmente, cerca de 30 centímetros em relação à estrutura. O BRT faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Urbana, segundo a Agência Brasil.

Belo Horizonte já recebeu cinco jogos desta Copa do Mundo e, na próxima terça-feira, hospedará uma semifinal, entre os vencedores das partidas Brasil x Colômbia e Alemanha x França desta sexta-feira.

Leia mais