IFA 2010 apresenta desde TVs 3D a eletrodomésticos de última geração em Berlim | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 03.09.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

IFA 2010 apresenta desde TVs 3D a eletrodomésticos de última geração em Berlim

Televisões e óculos 3D estão por todo lado, no espaço do evento. Mas além das novidades do mundo das imagens, feira também apresenta eletrodomésticos que atraem até quem tem horror as tarefas de casa.

default

Televisões 3D e indispensáveis óculos especiais dominam a IFA

À primeira vista, o salão da IFA, a Feira Internacional de Eletrônica de Consumo que abre suas portas nesta sexta-feira (03/09) em Berlim, não parece muito diferente da edição do ano passado: o evento continua sendo o mundo colorido e reluzente dos televisores.

Um olhar mais atento, entretanto, indica que há novidades. A feira, que completa 50 anos em 2010, conta com mais expositores. E por que todo o mundo usa óculos diante das telas?

Trata-se da fórmula televisiva do futuro, a tecnologia 3D. Através dela, a experiência que os fãs do sucesso de bilheteria Avatar viveram há já algum tempo no cinema estará também acessível do sofá da sala de estar.

"Claro que assistir a um filme em formato 3D é especialmente fascinante no cinema, mas a impressão também é fantástica na televisão. Com certeza não se assistirá permanentemente TV 3D, mas é atrativo 'encenar' um filme 3D em casa", diz Roland Raithel, da empresa Loewe.

Quase todos os fabricantes de televisores expõem em Berlim novas TVs 3D, acompanhadas dos óculos especiais sem os quais é impossível experimentar o prazer das imagens tridimensionais. A Loewe, no entanto, não faz parte desse grupo.

"É fascinante assistir à televisão 3D. Só que não acreditamos que as pessoas não o farão com frequência, tendo que usar óculos. Não queremos ser os primeiros, mas sim os melhores nesse setor. Queremos uma melhor solução para 3D e, por isso, no futuro vamos dotar os aparelhos da Loewe de funcionalidade tridimensional", justifica Raithel.

3D sem óculos e internet

Flash-Galerie Berlin IFA Internationale Funkausstellung 2010 3D Brille

Visitantes assistem fascinados à televisão 3D

A fabricante talvez esteja apostando nas novas descobertas da criativa equipe do Instituto Fraunhofer, que já apresentou na IFA soluções para uma futura televisão 3D sem auxílio de óculos especiais. Esse deverá ser um tema para os próximos anos, assim como tem sido a televisão de alta definição (HDTV).

Se há dois anos ainda se aconselhava cautela, no meio tempo, graças à Copa do Mundo e ao aumento da oferta de programas, a HDTV passou praticamente a ser a regra, ao se adquirir um novo televisor.

Um ponto negativo, no entanto, pode acabar com o entusiasmo de muitos consumidores: o preço. Enquanto os alemães gastam, em média, 680 euros na compra de uma televisão de tela plana, eles teriam que desembolsar 2 mil euros por uma televisão 3D.

A conexão entre televisão e internet também está no cento das atenções este ano, juntamente com a tecnologia 3D. A ideia é que o telespectador possa alternar facilmente entre a programação de televisão e a oferta online – tudo através do mesmo aparelho e de um só controle remoto. Isso deve ser possível por meio da Hybrid Broadcast Broadband TV (HbbTV – Emissão televisiva híbrida de banda larga).

"É bom quando se assiste à televisão e se quer obter informações adicionais sobre o programa. Ou é possível assistir a um programa que se tenha perdido sem tê-lo gravado. Todas essas coisas poderiam vir da internet e teriam, naturalmente, que ser de fácil acesso, e é isso o que a HbbTV faz", explica Sascha Lange, da fabricante japonesa Toshiba.

Nem só televisão

IFA 2010 Ventilator

Ventilador sem hélices da Dyson: ar fresco e segurança

Quando se fala em qualidade de imagem e som, a fabricante Loewe entra mais uma vez em cena. A tradicional empresa, fundada em 1923 em Berlim e presente desde 1924 em todas as feiras do setor, é uma das líderes do mercado na Alemanha também no setor de alto-falantes. Uma de suas conquistas mais recentes é a "redescoberta" da técnica eletrostática, conhecida e comprovada há 100 anos.

"Alto-falantes eletrostáticos são muito delgados, mas seu som é impressionante. Eles se compõem de um diafragma e duas grades que, eletricamente carregadas, provocam a vibração do diafragma, funcionando de forma semelhante ao tímpano no ouvido.

E, como o alto-falante irradia o som em todas as direções, não apenas para frente, consegue-se um som muito natural. Esta é uma tecnologia que, até agora, era muito cara, com par de alto-falantes custando em torno de 100 mil euros. Na Loewe, o preço ficou bem mais acessível", argumenta Raithel.

Raithel não revela o preço dos aparelhos de apenas um centímetro de espessura, mas eles certamente permanecerão na categoria premium da empresa. A mesma tendência é observada em outros tipos de aparelhos exibidos na IFA 2010, quer no setor de entretenimento, comunicação, computadores ou eletrodomésticos.

Ventilador sem hélices

Nesse contexto, dar 300 euros num ventilador até parece uma pechincha, se não se tratasse apenas de refrescar o ambiente no dias mais quentes. Mas o novo artigo da empresa inglesa Dyson realmente chama a atenção por seu design elegante e, sobretudo, a ausência das habituais hélices, fruto do espírito inventivo do presidente da empresa, James Dyson.

O diretor-gerente Erich Geisser explica como o aparelho funciona e porque ele é melhor do que os ventiladores usuais: "Um anel sobre o qual o ar é distribuído uniformemente e direcionado para uma borda com um ângulo específico. Por um fenômeno físico, gera-se pressão subatmosférica".

À medida que mais ar é sugado e seu volume amplificado em até 18 vezes, produz-se uma corrente ininterrupta de ar. Além de refrescar o ar circulante, o ventilador Dyson libera os pais da preocupação com incidentes envolvendo os cabelos ou dedos das crianças.

Para a casa

Flash-Galerie Berlin IFA Internationale Funkausstellung 2010 Miss IFA

IFA 2010: produtos que facilitam a vida domestica

A indústria de eletrodomésticos, presente na IFA desde 2008, traz várias inovações que transformam em hobbies as impopulares tarefas domésticas como cozinhar, lavar e limpar. E, o mais importante, elas também poupam o orçamento familiar.

Todas as fabricantes mais conhecidas, como Siemens, Bosch e Miele, centram suas inovações nos conceitos de sustentabilidade e eficiência. Trata-se de proteger o meio ambiente, de economizar água e eletricidade.

Um exemplo é a nova tecnologia denominada i-Dos. Não se trata de qualquer produto da Apple e não tem nada a ver com multimídia, mas com a lavagem de roupa. Essa é a tecnologia empregada na primeira máquina de lavar roupa com um sistema de dosagem integrado e totalmente automático. "A máquina detecta automaticamente a roupa, o grau de sujeira e o tipo de tecido. E então ela aplica a quantidade exata de sabão", informa Roland Hagenbucher, diretor-gerente da Siemens.

Volker Klodwig, representante da Bosch, complementa: "A máquina faz a dosagem sempre automaticamente e, por isso, gera os melhores resultados com uma economia de 7.062 litros no ano, um enorme incentivo à economia de água. Para ilustrar melhor: é o equivalente a 58 banheiras."

O argumento deve convencer a todos, mesmo àqueles que só têm olhos para as novas televisões e outros artigos de entretimento da IFA 2010.

Autor: Manfred Böhm (np)
Revisão: Augusto Valente

Leia mais