Hitler decapitado na inauguração do Madame Tussaud de Berlim | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 05.07.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Hitler decapitado na inauguração do Madame Tussaud de Berlim

Logo o segundo visitante atacou a figura de cera de Adolf Hitler no dia em que a filial berlinense do museu Madame Tussaud abriu suas portas ao público. Ao todo, estão à mostra 75 figuras, de políticos a celebridades.

default

Hitler ainda pode ser visto em Londres

Os visitantes da filial berlinense do famoso museu Madame Tussaud, aberta ao público neste sábado (05/07) na avenida Unter den Linden, deram de cara com uma cena intrigante: encontraram apenas uma escrivaninha vazia na réplica de bunker onde deveria estar a polêmica estátua de cera de Adolf Hitler.

Wachsfigurenkabinett der Madame Tussaud in Berlin

Karl Marx em cera

Acontece que, pouco após a inauguração, os funcionários do museu tiveram que retirar a estátua, decapitada durante um "atentado" logo pelo segundo visitante do museu.

O primeiro visitante assistiu à cena: "Entrei às dez horas e fui cumprimentado por ser o primeiro visitante. Estava olhando para Karl Marx, que é o segundo busto, quando ele se aproximou de Hitler por trás da escrivaninha e o derrubou, gritando 'guerra nunca mais'". O homem, de 41 anos, foi afastado pelos funcionários e levado pela polícia.

Ao todo, o museu de cera apresenta 75 figuras. Entre elas, estão políticos como Otto von Bismarck, Konrad Adenauer, Erich Honecker, Angela Merkel, mas também a estudante Sophie Scholl, assassinada pelos nazistas por sua participação na resistência ao regime.

Wachsfigurenkabinett der Madame Tussaud in Berlin

Estátuas de Angela Merkel e Dalai Lama lado a lado

Mas nada era tão polêmico quanto a exibição de uma estátua do ditador nazista Adolf Hitler num edifício situado nas proximidades da antiga Chancelaria nazista e do Memorial do Holocausto.

Diante de protestos da comunidade judaica e de alertas de historiadores e políticos, a organização do museu reagiu colocando a réplica em cera de Hitler num cenário sombrio, acompanhado de uma placa explicativa politicamente correta.

Estátua deverá faltar por um bom tempo

"[A estátua de] Hitler também está em Londres, inclusive em uma posição de destaque, o que nem é o caso em Berlim, onde aparece sentado com a aparência de um velho cansado em seus últimos dias", argumenta a gerente do estabelecimento, Susanne Keller.

Großbritannien Marie Tussaud

Retrato da francesa Marie Grosholtz (1761–1850), casada com Francis Tussaud

Segunda ela, uma pesquisa feita por um instituto de pesquisa de mercado concluiu que os visitantes querem ver Hitler. No entanto, diferentemente das demais figuras, como a da modelo Heidi Klum, a do roqueiro Peter Maffay ou as de tantas outras celebridades, a figura de Hitler não pode ser fotografada, nem mesmo tocada.

As regras, no entanto, não puderam conter o público. É provável que a estátua do ditador, que custou ao museu 200 mil euros e ocupou cerca de 20 artistas durante quatro meses, faltará por um bom tempo. "Até entendo que se trata de uma figura polêmica", disse um visitante. "Mas danificá-la dessa forma eu não acho certo."

Este, aliás, não é o único problema que o museu terá que resolver em sua oitava filial mundial: o ex-chanceler federal Helmut Kohl avisou que não ficou satisfeito com sua própria figura e ameaça processar o museu.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados