Grupo de 370 economistas divulga carta aberta contra Trump | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 02.11.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Grupo de 370 economistas divulga carta aberta contra Trump

Texto assinado por oito vencedores do Nobel de Economia afirma que candidato republicano seria escolha "perigosa e destrutiva" e explica por que sua campanha repete "estatísticas econômicas falsas".

Trump seria uma escolha perigosa e destrutiva para os EUA, diz a carta aberta

Trump seria "uma escolha perigosa e destrutiva" para os EUA, diz a carta aberta

Em carta aberta divulgada nesta quarta-feira (02/11), um grupo de 370 economistas – incluindo oito laureados com o Nobel da categoria – pede aos eleitores americanos que rejeitem Donald Trump nas eleições presidenciais no dia 8 de novembro. Segundo eles, o republicano seria "uma escolha perigosa e destrutiva" para os EUA, por "repetir estatísticas econômicas falsas".

"Nós, o grupo abaixo-assinado, representamos uma larga variedade de áreas de especialização e estamos unidos na nossa oposição a Donald Trump; recomendamos que os eleitores escolham um candidato diferente", diz o documento, que rebate algumas das principais afirmações do republicano.

Na carta publicada no Wall Street Journal, os economistas não recomendam diretamente o voto na candidata democrata Hillary Clinton, que também foi alvo de outro documento semelhante divulgado em setembro, onde 306 economistas criticavam sua plataforma política. Na última segunda-feira, outra carta aberta, assinada por 19 vencedores do Nobel de Economia, recomendava o voto em Hillary e pedia apoio à candidata.

O documento divulgado nesta quarta-feira inclui as assinaturas de Angus Deaton, Nobel da Economia em 2015, Oliver Hart, um dos vencedores deste ano, e Kenneth Arrow, laureado em 1972. O texto critica Trump por apresentar dados falsos sobre diversos indicadores econômicos, como em relação aos custos da eliminação do déficit orçamental.

"Ele informa erradamente o eleitorado, mina a confiança nas instituições públicas com teorias da conspiração e promove ilusões propositadas sobre a realidade", afirma o manifesto dos economistas, segundo o qual Trump engana o público "usando a imigração" para fugir de temas de relevância econômica. 

Trump, segundo eles, mentiu ao afirmar que os EUA possuem uma das mais pesadas cargas tributárias em todo o mundo. "Suas declarações revelam uma profunda ignorância e inabilidade para ouvir especialistas confiáveis", afirma o documento.

Ao contrário da prática habitual, de pedir apoio a um candidato a ou a uma política econômica a cada quatro anos, a carta de 2016 se concentra em refutar através de argumentos técnicos as afirmações do republicano.

"Eu normalmente não entro na política, mas decidi assinar esta carta porque penso que a destruição que as táticas da campanha de Trump fizeram às instituições desta nação é um grande tema moral", afirmou ao Wall Street Journal o economista da Universidade de Yale e Nobel da Economia em 2013, Robert Shiller.  "Isto não é sobre republicanos contra democratas, não é uma declaração política normal, é um sentimento de indignação contra um demagogo", afirmou.

RC/lusa/ots

Leia mais