1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Cartaz do Enem em poste
Ministro Weintraub chegou a afirmar na semana passada que o exame "não é para atender injustiças sociais, é para selecionar os melhores"Foto: imago/Fotoarena
Educação

Governo anuncia adiamento do Enem

20 de maio de 2020

Após pressão do Senado e de entidades estudantis, Inep diz que exame deve ser adiado por 30 a 60 dias. Ministro da Educação vinha resistindo em aceitar adiamento e disse que pedidos vinham de "partidecos de esquerda".

https://www.dw.com/pt-br/governo-anuncia-adiamento-do-enem/a-53518105

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será adiado, segundo decisão do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela prova, e do Ministério da Educação (MEC). 

Em nota divulgada nesta quarta-feira (20/05), o Inep apontou que a decisão ocorre em meio "às demandas da sociedade e às manifestações do Poder Legislativo em função do impacto da pandemia do coronavírus". Segundo o Inep, o exame será adiado "de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais".

A data original do exame estava prevista para novembro, e a prova deve agora ocorrer em dezembro ou janeiro.

Em média, 5 milhões de candidatos participam do Enem a cada ano. Segundo o MEC, mais de 4 milhões já fizeram a inscrição para este ano. O prazo vai até 22 de maio.

A decisão pelo adiamento ocorre em meio à pressão de setores da sociedade civil, em especial entidades que representam estudantes, que vinham pedindo a escolha de uma nova data por causa da pandemia de coronavírus. Entre os argumentos está o de que muitos estudantes que ficaram sem aulas não têm condições de manter os estudos durante a pandemia ou nem sequer tem meios para estudar à distância.

Nesta terça-feira o Senado já havia aprovado o adiamento do Enem para depois da conclusão do ano letivo - apenas o senador Flávio Bolsonaro, filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro votou contra. Secretários estaduais de Educação do país também vinham pressionando pelo adiamento.

Nesta quarta-feira, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, também sugeriu em suas redes sociais que o exame fosse adiado em 30 a 60 dias.

Anteriormente, Weintraub vinha resistindo em adiar o Enem, chegando a afirmar que "partidecos de esquerda" vinham agindo para que o exame não fosse realizado. Sobre os problemas enfrentados por vários estudantes, ele chegou afirmar na semana passada que o exame "não é para atender injustiças sociais, é para selecionar os melhores".

Leia a nota:

Atento às demandas da sociedade e às manifestações do Poder Legislativo em função do impacto da pandemia do coronavírus no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC) decidiram pelo adiamento da aplicação dos exames nas versões impressa e digital. As datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais.

Para tanto, o Inep promoverá uma enquete direcionada aos inscritos do Enem 2020, a ser realizada em junho, por meio da Página do Participante. As inscrições para o exame seguem abertas até as 23h59 desta sexta-feira, 22 de maio."

JPS/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter