1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Conferência dos governos federal e dos 16 estados da Alemanha, reunidos em uma mesa redonda na sede do governo em Berlim.
Governadores dos 16 estados da Alemanha chegam a acordo com gabinete do chanceler Ofal Scholz sobre medidas para conter impacto da inflaçãoFoto: Kay Nietfeld/dpa/picture alliance

Governo alemão sela acordo para aliviar impacto da inflação

3 de novembro de 2022

Medidas incluem tarifa promocional de 49 euros no transporte público e auxílio para cobrir gastos com energia. Governo federal e estados ainda discutem adoção de tetos aos preços do gás natural e eletricidade.

https://p.dw.com/p/4IzFz

Após semanas de desentendimentos, os governos federal e dos 16 estados da Alemanha chegaram a um acordo sobre o financiamento de um gigantesco pacote de medidas emergenciais para aliviar o impacto da inflação e a alta nos preços de energia, e incluem também uma tarifa promocional para o transporte público.

Após uma nova reunião nesta quarta-feira (02/11), ficou acertado que os estados contribuirão com medidas como a extensão do auxílio moradia, mas ao mesmo tempo receberão novas verbas federais para os transportes regionais para financiar o acolhimento aos refugiados.

O chanceler federal alemão, Olaf Scholz, destacou que o governo federal se uniu aos estados para combater as consequências da guerra provocada pela Rússia na Ucrânia. "Nos demos os braços para resolver juntos os problemas do nosso país", exaltou.

Bilhete de 49 euros

A tarifa promocional para o transporte público de curta e média distância em todo o país, no valor de 49 euros (250 reais), vem em substituição ao bilhete de 9 euros criado pelo governo alemão durante os meses de verão, na metade do ano. O objetivo do passe mensal é facilitar o acesso da população aos trens, metrôs e ônibus regionais em todo o país.

O ministro alemão dos Transportes, Volker Wissing, declarou que, a partir de agora, "está aberto o caminho para a maior reforma das tarifas do transporte público na Alemanha".

O novo plano elaborado pelo governo para substituir o bilhete de 9 euros seria ainda uma fase introdutória, o que significa que o preço das passagens deverá ser aumentado mais tarde.

A agência alemã de notícias DPA informou, citando fontes do governo, que a nova tarifa deverá ser implementada somente no próximo ano. Wissing afirmou que o bilhete será colocado em prática tão logo quanto possível.

Limites aos preços de energia

Também foi discutida a promessa do governo de implementar um teto aos preços de energia e a adoção de um pagamento único para os consumidores de gás natural. A chamada medida de alívio emergencial deve cobrir o custo do consumo de gás nas contas do mês de dezembro.

O ministro da Economia, Robert Habeck, disse que, apesar da recente queda nos preços do gás natural, não é possível saber o que ocorrerá no futuro. "Os consumidores privados e os negócios sofrem cada vez mais com a alta nos preços e precisam urgentemente de alívio", afirmou, ao comemorar a decisão desta quarta-feira, que considerou um importante primeiro passo.

"Novas medidas seguirão, e nós estamos trabalhando intensamente no governo federal para implementar um teto para os preços de gás e eletricidade", disse Habeck. Segundo Scholz, o preço do gás natural deverá ser limitado a 12 centavos de euro por kilowatt/hora, e o da eletricidade, a 40 centavos.

O Bundestag e o Bundesrat (as câmaras baixa e alta do Parlamento alemão) devem aprovar as medidas até o dia 11 de novembro.

O alívio emergencial é considerado uma solução temporária até a introdução dos limites dos preços do gás natural para residências no mês de em março. Os fornecedores afirmaram que não é viável introduzir o teto nos preços antes do terceiro mês de 2023.

rc (dpa, AFP)

Pular a seção Mais sobre este assunto
Pular a seção Conteúdo relacionado

Conteúdo relacionado