Governo alemão condena assassinato de político | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 18.06.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Governo alemão condena assassinato de político

Ministro alemão do Interior diz que morte de político conservador de Kassel possivelmente teve motivação política e afirma que extremismo de direita representa um grave perigo. Militante neonazista é principal suspeito.

Horst Seehofer

Seehofer participou de coletiva de imprensa sobre o caso

O ministro alemão do Interior, Horst Seehofer, afirmou nesta terça-feira (18/06) que a polícia trabalha com a hipótese de assassinato do chefe do conselho administrativo do distrito de Kassel, Walter Lübcke, teve motivação política.

"De acordo com o que sabemos até agora devemos assumir que o autor do crime é um extremista de direita e que o crime tem um pano de fundo extremista de direita", disse Seehofer, numa coletiva de imprensa sobre o caso.

O representante do governo alemão condenou ainda o homicídio. "Um ataque extremista de direita contra um líder representante do nosso Estado é um sinal de alarme e é dirigido contra todos nós", afirmou Seehofer.

"Precisamos combater o extremismo de direita e radicalismo de direita com todos os meios do Estado de direito", acrescentou. Seehofer destacou ainda que o extremismo de direita representa um grave perigo para a liberdade da sociedade.

Lübcke, de 65 anos e filiado à União Democrata-Cristã (CDU), foi encontrado morto por seus parentes no terraço da sua residência com um tiro na cabeça no dia 2 de junho. A polícia rapidamente descartou a hipótese de suicídio ou disparo acidental. Nenhuma arma foi encontrada no local. A autópsia revelou que o disparo ocorreu à curta distância.

O principal suspeito, identificado como Stephan E. , de 45 anos, está detido. Ele já teve ligação com grupos de extrema direita, entre eles o núcleo do neonazista Partido Nacional-Democrático (NPD) do Estado de Hessen. Segundo as autoridades, há anos ele era militante de extrema direita e cometeu vários delitos por motivações políticas.

De acordo com o presidente do Departamento de Proteção à Constituição da Alemanha (BfV), o serviço de inteligência interno do país, Thomas Haldenwang, o suspeito entrou para a cena de extrema direita no final da década de 1980.

A imprensa alemã noticiou que o suspeito já foi detido no passado em Dortmund durante um confronto entre extremistas e sindicalistas durante as festividades de 1° de maio e tinha ficha por posse ilegal de armas, furtos e outros delitos. Ele chegou ainda a ser condenado por tentar atacar um abrigo de refugiados em Hessen nos anos 1990.

O chefe da Polícia Criminal da Alemanha (BKA), Holger Münch, disse que o suspeito se recusa a falar sobre o assassinato de Lübcke. A arma do crime ainda não foi encontrada.

Apesar dos investigadores afirmarem que não sabem se há outros envolvidos no homicídio ou se o Stephan E. faz parte de algum grupo específico, o jornal alemão Süddeutsche Zeitung disse testemunhas teriam visto dois carros suspeitos próximos à casa do político na hora do crime.

Lübcke, o político assassinado, vinha sendo regularmente alvo de críticas e insultos da cena extremista local por suas posições pró-migrantes. Ele também defendeu publicamente a política de braços abertos da chanceler federal Angela Merkel durante a crise dos refugiados de 2015.

À época, durante uma audiência pública, ele bateu boca com militantes de extrema direita que criticavam a instalação de abrigos provisórios para refugiados no distrito.

CN/dpa/rtr

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais