Furacão continua rota de destruição na costa leste dos EUA | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 08.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Furacão continua rota de destruição na costa leste dos EUA

Matthew perde intensidade, passando à categoria um, numa escala que vai até cinco. Furacão se movimenta ao largo da Carolina do Sul e região enfrenta chuvas intensas e fortes ventos.

O Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) afirmou neste sábado (08/10) que o furacão Matthew foi rebaixado para a categoria um, na escala que vai até cinco, em seu trajeto ao largo da costa da Carolina do Sul, nos EUA. A região registra chuvas intensas e fortes ventos.

Matthew, que atravessou na noite anterior a costa da Geórgia, apresenta ventos máximos de 140 km/h e se encontra a 35 quilômetros a sul-sudoeste de Charleston, na Carolina do Sul. O furacão chegou à costa noroeste da Flórida nesta sexta-feira e se move em direção a noroeste na velocidade de 19km/h.

"Na trajetória prognosticada, o centro de Matthew continuará se movendo ao largo ou sobre a costa da Carolina do Sul hoje, e nas proximidades da costa sul da Carolina do Norte nesta noite", destacou o NHC em boletim divulgado às 9 horas (horário de Brasília).

O centro meteorológico, com sede em Miami, espera um enfraquecimento do ciclone nas próximas 48 horas. Mesmo assim, o alerta para furacão permanece ativo na faixa costeira que se estende de Altamaha Sound, na Geórgia, até Surf City, na Carolina do Norte. Já um aviso de tempestade tropical é mantido para o norte de Surf City até Duck, também na Carolina do Norte.

Ao se mover na costa da Flórida, Matthew deixou quatro mortos, árvores caídas, telhados arrancados e milhares de pessoas sem energia elétrica. Já na Geórgia, mais de 210 mil pessoas ficaram sem eletricidade, afirmou a companhia George Power, a maioria na região de Savannah, uma das mais afetadas pelos ventos e tempestades ocasionadas pelo furacão.

Em Savannah, a maré chegou a alcançar o segundo nível mais alto dos últimos 80 anos, de acordo com dados do Serviço Nacional de Meteorologia.

Desde a noite de sexta-feira a cidade de Charleston, na Carolina do Sul, apresenta inundações e enfrenta o risco de sofrer os efeitos das ondas e uma possível maré de tempestade, isto é, a subida do nível do mar que atinge a terra impulsionada pelos ventos e outros fatores, o que pode ter consequências catastróficas.

A Flórida é o primeiro estado americano que sofre os estragos do poderoso furacão depois dele passar pelo Caribe, onde somente no Haiti deixou ao menos

Na Flórida, o primeiro estado americano que sofre os estragos do Matthew depois dele passar pelo Caribe, onde deixou quase 900 mortos e dezenas de milhares de pessoas desabrigadas no Haiti. O furacão se tornou o pior desastre natural do país desde o terremoto de 2010, que matou 300 mil pessoas.

FC/efe/rtr/dpa

Leia mais