Furacão ameaça Caribe com ventos de até 280 km/h | Notícias internacionais e análises | DW | 05.09.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Furacão ameaça Caribe com ventos de até 280 km/h

Governos locais estão em alerta máximo com aproximação do Irma, furacão de categoria 5, a mais alta, e ventos de até 280 quilômetros horários. Ciclone pode chegar à Flórida e provocar ondas "grandes e destrutivas".

Imagem de satélite mostra o furacão Irma se aproximado do Caribe

Imagem de satélite mostra o furacão Irma se aproximado do Caribe

O furacão Irma, de categoria 5 (a mais alta da escala Saffir-Simpson), se move nesta terça-feira (05/09) com ventos de até 280 quilômetros por hora que ameaçam o Caribe e o estado americano da Flórida, segundo o Centro de Furacões dos EUA (CNH, na sigla em inglês), sediado em Miami.

O Irma, o quarto furacão da temporada ciclônica no Atlântico, se encontra a cerca de 500 quilômetros das Pequenas Antilhas. Os governos da área do Caribe emitiram alertas devido ao furacão. Diversas ilhas da região, entre as quais Porto Rico, estão em estado de alerta máximo, devido à ameaça, poucos dias após a passagem do Harvey, que provocou grandes estragos na costa sul dos Estados Unidos.

A trajetória do Irma ainda é incerta, mas várias projeções colocam o Haiti, a República Dominicana e Cuba no seu trajeto, antes de se dirigir para o norte, em direção ao estado da Flórida e, depois, eventualmente, para a costa leste dos EUA.

No Haiti, as autoridades lançaram um primeiro nível de alerta, sinalizando "ameaças de fortes chuvas, fortes ventos, fortes ondulações, riscos de deslizes de terras e inundações".

Assistir ao vídeo 01:09

O furacão Irma visto do espaço

Alertas de furacão foram também emitidos para as ilhas de Antígua e Barbuda, Anguilla, Montserrat, São Cristóvão-Nevis, Saint Martin e Saint Barthélemy.

O CNH classificou o Irma como "extremamente perigoso" e previu que ele poderá provocar um aumento de até três metros no nível normal do mar e ondas "grandes e destrutivas".

A primeira tempestade tropical de 2017 foi Arlene, que se formou em abril no Atlântico, mais de um mês antes do começo da temporada de furacões.

Depois vieram Bret, Cindy, Don, Emily e Franklin, que se tornou o primeiro furacão da temporada, seguidos por Gert, o segundo furacão, Harvey, que alcançou a categoria 4, e agora o Irma.

MD/efe/lusa/afp

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados