França anuncia 735 milhões de euros para combate ao terror | Notícias internacionais e análises | DW | 21.01.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

França anuncia 735 milhões de euros para combate ao terror

Dinheiro será destinado a contratação de mais de 2.600 funcionários e compra de equipamentos no setor de segurança. País estima ter 3 mil suspeito de terrorismo para monitorar.

Após ataques, França vai contratar mais funcionários no setor de segurança

Após ataques, França vai contratar mais funcionários no setor de segurança

O governo francês anunciou nesta quarta-feira (21/01) a contração de mais funcionários na área de segurança e um repasse extra de recursos para o setor, numa iniciativa para fortalecer a luta contra o terrorismo. As medidas foram tornadas públicas pelo primeiro-ministro Manuel Valls.

Segundo Valls, 2.680 novos postos de trabalho serão criados especificamente para o combate ao terror. Nos próximos três anos, 1.110 vagas no serviço secreto serão abertas e 250 no Ministério da Defesa.

Outros 950 cargos serão destinados ao Ministério da Justiça nos setores de promotoria pública especializada no combate ao terrorismo e penitenciárias. Dessa maneira, o governo pretende monitorar e impedir "fenômenos de radicalização" nas prisões francesas.

Além disso, o premiê anunciou o repasse de extra de 425 milhões de euros para serem investidos em segurança. O dinheiro deve ser usado para melhorar os sistemas de informática, além de equipamentos não letais e armamento para a polícia.

As medidas vão custar 735 milhões de euros aos cofres franceses nos próximos três anos. O gasto, segundo o primeiro-ministro, "vai ser compensado com economias no conjunto da despesa pública, ano após ano.

De acordo com o premiê, os serviços secretos da França precisam monitorar cerca de 3 mil pessoas suspeitas de radicalismo islâmico, entre elas 1.300 que têm ligações com jihadistas na Síria ou Iraque.

CN/dpa/afp/lusa

Leia mais