Fim de monopólio ferroviário pode abrir caminho para ônibus intermunicipais na Alemanha | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 15.03.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Fim de monopólio ferroviário pode abrir caminho para ônibus intermunicipais na Alemanha

Ao contrário do Brasil, na Alemanha as opções de ônibus intermunicipais são minimas: quase sempre só é possível viajar de trem. Mas uma mudança na lei deve alterar esse quadro.

default

Ônibus que faz trajeito Berlim-Hamburgo

Na Alemanha, praticamente não existe ônibus de linha intermunicipal – com exceção de rotas para Berlim. Segundo o parágrafo 13 da lei sobre transporte público, que data de 1931, esse tipo de conexão só é possível quando o serviço de transportes existente não seja prejudicado. Ou seja. quando a empresa ferroviária Deutsche Bahn estiver de acordo.

Porém esse privilégio deverá acabar, o mais tardar, até 2011, quando, como anunciou o governo federal, a legislação vigente passará por uma reforma.

Preferência pelo ônibus

Quem quiser avaliar o status que o transporte intermunicipal por ônibus tem da Alemanha, só precisa checar a estação rodoviária de Berlim. Em contraste com as rodoviárias de alto padrão da América Latina ou dos Estados Unidos, quem compra a passagem e aguarda o embarque sentado nos bancos de plástico alaranjados tem a sensação de estar num país subdesenvolvido, e não numa conexão rodoviária central da capital alemã.

Anne Künne mora em Hamburgo e prefere o ônibus ao trem, em suas visitas regulares a Berlim. "Vale mais a pena", explica. Como comprou as passagens com antecedência, ela pagou apenas 19 euros pela ida e volta — o preço normal é 43 euros. O mesmo percurso custa 140 euros, com o trem.

Petra Niessen, filha de Anne, aprecia tanto o serviço e o preço, que envia com frequência seus filhos de 11 e 14 anos para visitar a avó, sozinhos de ônibus. "Minha mãe pode pegá-los em Hamburgo, mas só depois de assinar um documento. Assim, é mais tão seguro do que viajar de trem."

A motorista de ônibus Angelika Bartels conta que a criança mais nova que costuma viajar no ônibus tem cinco anos. Sempre antes de partir, ela confere, com a ajuda de um colega, se todos os 35 passageiros estão em seus lugares e inicia pontualmente o trajeto de três horas e dez minutos.

Vantagens comprovadas

Wartesaal am Zentralen Omnibusbahnhof in Berlin

Passageiros esperam para embarcar em Berlim

Há duas décadas Bartels, de 49 anos, executa com paixão a função de motorista. Graças a um treinamento consequente em quesitos como segurança e meio ambiente, ela consegue fazer mais de três quilômetros por litro de combustível, e seu ônibus emite proporcionalmente menos CO2 e substâncias poluidoras do que o trem.

Segundo um estudo do Instituto de Energia e Pesquisa Ambiental feita a pedido do Ministério do Meio Ambiente, o ônibus é o meio de transporte mais seguro e o que menos causa impacto ambiental na Alemanha.

Mais ônibus no futuro?

O trajeto Berlim-Hamburgo existe desde os anos 1980, e cerca de 400 mil passageiros fazem o percurso a cada ano. Constantin Pitzen, diretor da empresa Autobahnexpress, conta que a linha rápida que liga Potsdam ao Aeroporto Halle-Leipzig e a outras cidades do centro do país foi recentemente inaugurada e ainda é pouco conhecida. Segundo Pitzen, a viagem é mais barata e até mais rápida do que a de trem.

O empresário de 39 anos teve que esperar um ano pelo aval para operar a linha, e só o obteve pelo fato de o trajeto de ônibus ser mais rápido que o trem. Se o governo federal fizer a reforma esperada na lei, Constantin Pitzen tem planos de colocar outras ideias em prática.

Autor: Svenja Pelzel / Nádia Pontes
Revisão: Augusto Valente

Leia mais