Fifa abre investigação contra seu próprio presidente | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 27.05.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Fifa abre investigação contra seu próprio presidente

Nas vésperas de tentar se reeleger à presidência da Fifa, Joseph Blatter terá de depor na comissão de ética da entidade. Ele é acusado de fazer vista grossa a práticas de corrupção na eleição da sede da Copa de 2022.

Acusado de fazer vista grossa: Joseph Blatter

Acusado de fazer vista grossa: Joseph Blatter

A cinco dias da eleição presidencial na Federação Internacional de Futebol (Fifa) cresce a pressão sobre o presidente da entidade, Joseph Blatter. A comissão de ética da Fifa abriu nesta sexta-feira (27/05) investigação contra o suíço em relação a suposto suborno no processo de eleição da sede da Copa do Mundo em 2022.

Blatter tem até a manhã deste sábado para prestar esclarecimentos sobre as acusações contra ele, levantadas por seu rival, Mohammed bin Hammam, presidente da Confederação Asiática de Futebol. "Não posso tecer comentários sobre o procedimento aberto hoje contra mim. Os fatos falarão por si só", disse o dirigente da Fifa, através de um comunicado.

Mohammed bin Hammam se defende e acusa

Mohammed bin Hammam se defende e acusa

Bin Hammam, que é do Catar, concorre à eleição para a presidência da Fifa, enfrentando Blatter, que se candidata a um novo mandato. O catarense foi intimado na quarta-feira a comparecer diante da comissão de ética.

Além de Bin Hammam, outros três altos funcionários da entidade – o presidente da Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe (Concacaf), Jack Warner, e dois executivos da União Caribenha de Futebol (CFU – também foram chamados na quarta-feira a reportar possíveis casos de corrupção na campanha de eleição da sede da Copa.

Hammam contra Blatter

Poucas horas após encontrar Blatter numa reunião do comitê financeiro da Fifa, em Zurique, Bin Hammam atacou o suíço severamente, dizendo estar sendo vítima de uma campanha para colocar em descrédito sua candidatura à presidência da federação poucos dias antes da disputa pelo cargo mais alto do futebol mundial.

Na quinta-feira, ele instou a Fifa a investigar também o suíço, acusando Blatter de ter conhecimento de pagamentos de propinas a membros da Fifa e de nada ter feito contra as práticas. Ao mesmo tempo, refutou em comunicado todas as acusações contra si.

Assim como os demais altos funcionários do órgão, Blatter também foi intimado a prestar depoimento no domingo diante da comissão de ética da Federação Internacional de Futebol.

MD/dpa/rtr
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais