Fósseis de Neandertal encontrados perto de Roma | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 09.05.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Arqueologia

Fósseis de Neandertal encontrados perto de Roma

Crânios e outros ossos numa caverna da região do Lácio, próximo ao Mar Tirreno, datam de 50 mil a 100 mil anos e poderão lançar luz sobre o processo de povoamento da Itália.

Reconstituição de espécimes de Neandertal

Reconstituição de espécimes de Neandertal

Arqueólogos encontraram restos fossilizados de nove espécimes de Homo neanderthalensis de ambos os sexos, numa caverna perto de Roma. Oito deles datam de 50 mil a 68 mil atrás, enquanto o nono teria de 90 mil a 100 mil anos, divulgou o Ministério Italiano da Cultura neste sábado (08/05).

O importante achado foi feito na Gruta Guattari, um sítio pré-histórico descoberto mais de 80 anos atrás, situado a cerca de 100 metros do Mar Tirreno, no flanco oriental do promontório.

Ossos fossilizados em sítio arqueológico na Itália

Achados na Gruta Guattari datam de 50 mil a 100 mil anos

"Juntamente com os outros encontrados no passado na Gruta Guattari, chega a 11 o total de indivíduos presentes nela, confirmando-a como um dos mais significativos sítios do mundo para a história do homem de Neandertal", detalha o comunicado.

"O homem de Neandertal é um estágio fundamental da evolução humana, representando o ápice de uma espécie e a primeira sociedade que se pode classificar como humana", explica Mario Rubini, diretor do serviço de antropologia da superintendência cultural do Lácio. Ele crê que o achado lançará luz sobre a história do povoamento da Itália.

Parente próximo do humano moderno

Assistir ao vídeo 05:10

Neandertais também faziam pinturas rupestres?

Descoberta acidentalmente em fevereiro de 1939 por trabalhadores que retiravam pedras na propriedade da família Guattari, em San Felice Circeo, na região do Lácio, a caverna tem sido objeto de pesquisas a partir de outubro de 2019.

Pouco mais tarde, o paleontólogo Albert Carlo Blanc achou um crânio de Neandertal bem preservado, além de outros fósseis, como restos de auroques (uma espécie bovina extinta), elefantes, rinocerontes, cervos selvagens, ursos rupestres, cavalos selvagens e hienas, muitos deles exibindo sinais de terem sido roídos.

Ossos fossilizados de Neandertal

Partes de crânios masculinos e femininos estão entre espetaculares achados na Itália

O homem de Neandertal é o ancestral humano mais próximo que se conhece. Em 2016, cientistas concluíram que espécimes das montanhas Altai, na Sibéria, partilhavam de 1% a 7% de seu material genético com os ancestrais dos humanos modernos.

A espécie – que deve seu nome ao vale na região de Düsseldorf, onde foi identificada pela primeira vez – foi extinta há cerca de 40 mil anos. Embora as causas exatas não sejam conhecidas, deduz-se que entre os fatores estiveram a mudança climática e a competição crescente com o Homo sapiens.

av (AFP,Reuters)

Leia mais