Ex-deputado anti-islã surpreende Holanda ao virar muçulmano | Notícias internacionais e análises | DW | 06.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Ex-deputado anti-islã surpreende Holanda ao virar muçulmano

Joram van Klaveren afirma que se converteu quando escrevia um livro, que inicialmente seria contra o islã. No Parlamento, ele foi o braço direito de Geert Wilders e lutou contra a burca e minaretes na Holanda.

Klaveren (e) ao lado de Wilders, quando ainda era deputado do PVV, em 2013

Klaveren (e) ao lado de Wilders, quando ainda era deputado do PVV, em 2013

Um ex-deputado holandês que já foi o braço direito do político islamofóbico Geert Wilders surpreendeu ao anunciar sua conversão ao islã nesta segunda-feira (04/02).

Joram van Klaveren, de 40 anos, era conhecido por ter liderado durante anos uma batalha feroz contra o islã no Parlamento holandês, para o Partido para a Liberdade (PVV), de Wilders, de extrema direita.

O jornal local Algemeen Dagblad descreve Van Klaveren como um radical que defendeu a proibição de burcas e minaretes durante o seu mandato parlamentar. Ele foi deputado pelo PVV de 2010 a 2014 e como independente até 2017.

Joram van Klaveren

Joram van Klaveren disse que estava à procura da sua crença religiosa há muito tempo

Van Klaveren explicou sua conversão com o seu trabalho num livro sobre o islã. Inicialmente ele pretendia escrever uma obra contra o islã, mas durante o trabalho, disse, ele decidiu se converter.

Segundo ele, o livro acabou virando uma "refutação das objeções que os não muçulmanos têm" dessa religião.

"Se tudo o que escrevi até agora é verdade, e eu penso que sim, então sou um muçulmano de fato", disse o ex-parlamentar.

O livro, intitulado Apóstata: do cristianismo ao islamismo na época do terror secular, será lançado em breve.

O ex-deputado, que cresceu em um ambiente cristão rigoroso, disse que estava à procura da sua crença religiosa há muito tempo.

"Parece um pouco como um retorno religioso para mim", disse Van Klaveren, depois de anunciar na segunda-feira, na rádio pública, que se converteu ao islã no fim de outubro.

A conversão do ex-parlamentar surpreendeu "tanto os seus amigos quanto os seus inimigos", acrescentou o Algemeen Dagblad.

Antigos companheiros de Van Klaveren disseram que a conversão é uma jogada de marketing para elevar as vendas do livro.

Wilders comparou a conversão de Van Klaveren a um "vegetariano que vai trabalhar num abatedouro". "Que história!", acrescentou.

O Conselho das Mesquitas Marroquinas na Holanda elogiou a decisão, comentando que é formidável quando um crítico como Van Klaveren "percebe que o islã não é mau" como ele mesmo supunha.

Van Klaveren deixou o PVV em 2014, depois de comentários polêmicos de Wilders, que numa manifestação eleitoral perguntara a apoiadores se eles queriam mais ou menos marroquinos na Holanda.

Dois anos depois, Wilders foi condenado por discriminação. O seu processo de apelação ainda está em andamento.

Depois de sair do PVV, Van Klaveren montou seu próprio partido anti-islâmico, Pela Holanda (VNL), mas se retirou da política após um resultado fraco nas eleições parlamentares de 2017.

Van Klaveren não é o primeiro político ligado ao PVV a se converter ao islã. Ele seguiu os passos de Arnoud van Doorn, um conselheiro municipal de Haia que adotou a religião em 2013.

Cerca de 5% da população holandesa é muçulmana.

AS/afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter