Estátua de menina vai continuar em Wall Street | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 28.03.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Estátua de menina vai continuar em Wall Street

Estátua de jovem encarando o famoso touro no centro financeiro de Nova York foi instalada para marcar o Dia Internacional da Mulher. Ativistas pretendem convencer o prefeito de Nova York a tornar a obra permanente.

A estátua de uma menina encarando a famosa escultura do touro de Wall Street seguirá exposta até fevereiro de 2018, comunicou o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, na segunda-feira (27/03). Duas petições, interesse midiático e repercussão nas mídias sociais geraram pressão para manter a estátua no local, no distrito financeiro perto de Bowling Green.

A obra de bronze de 127 centímetros de uma menina desafiadora com as mãos nos quadris foi instalada para celebrar o Dia Internacional da Mulher, em 8 de março, e estava datada para ser retirada no próximo domingo.

"Ela está enfrentando o medo, enfrentando o poder, sendo capaz de encontrar em si a força para fazer o que é certo", disse o prefeito. De Blasio, um democrata, afirmou que a convulsão política em torno do presidente Donald Trump torna a estátua particularmente relevante. "Ela está inspirando todos num momento em que precisamos de inspiração."

"Ela claramente atingiu um nervo", disse a legisladora democrata nova-iorquina Carolyn Maloney, enquanto anunciava, em frente à Câmara Municipal com outras políticas, a estadia prolongada da estátua. "Ela realmente se tornou uma parte significativa da comunidade de Nova York. Todo mundo vê seus próprios sonhos e aspirações na força dessa garotinha."

Comissionado pela empresa de gestão de investimentos State Street Global Advisors, a estátua é parte de uma campanha para aumentar a diversidade de gênero nos negócios. A campanha da State Street Global Advisors tem como objetivo destacar a necessidade de mais mulheres nos conselhos corporativos. Em seu site, a empresa informou que 25% das três mil maiores companhias americanas não têm diretoras mulheres.

Mas a estátua, apelidada de "Fearless Girl", também atraiu críticas. "Isso não é um símbolo! É um golpe publicitário", disse o artista Arturo Di Modica, acrescentando que a nova estátua distorce a impressão que ele pretendia transmitir com sua arte original. Di Modica esculpiu o touro em bronze "Charging Bull" e colocou-o em frente à Bolsa de Valores de Nova York no meio da noite, ilegalmente, em dezembro de 1989.

PV/ap/rtr/afp

Leia mais