1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Esposa de Raif Badawi, Ensaf Haidar, segura cartaz com imagem do blogueiroFoto: picture-alliance/dpa/P. Seeger

Esposa recebe Prêmio Sakharov em nome de blogueiro saudita

16 de dezembro de 2015

Raif Badawi, homenageado com a mais alta condecoração da UE para os direitos humanos, segue preso por supostamente ter insultado o islã. Ele é primeiro cidadão do Golfo Pérsico a receber o prêmio.

https://www.dw.com/pt-br/esposa-recebe-pr%C3%AAmio-sakharov-em-nome-de-blogueiro-saudita/a-18923237

O Parlamento Europeu outorgou ao blogueiro saudita Raif Badawi, nesta quarta-feira (16/12), o Prêmio Sakharov para a Liberdade de Pensamento, a mais alta distinção da União Europeia (UE) pela defesa dos direitos humanos.

Segundo o site oficial do órgão legislativo europeu na internet, "o prêmio é concedido a indivíduos que fizeram uma contribuição excepcional na luta pelos direitos humanos em todo o mundo".

Badawi foi escolhido devido a sua coragem incomum na promoção da liberdade de expressão na Arábia Saudita, que pratica a variedade ultraconservadora do islã conhecida como wahhabismo.

Apesar de detido desde 2012, só no ano passado o blogueiro saudita foi condenado a dez anos de prisão, mil chicotadas e uma multa em 1 milhão de riais sauditas (aproximadamente 1,33 milhão de reais) por supostamente ter insultado o islã num fórum online que criou para sauditas liberais.

"Tudo o que ele estava fazendo era exercer seu direito à liberdade de expressão, além de promover o respeito a ela ", declarou o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz. "Raif Badawi não está sozinho nessa luta."

Espírito livre

Em janeiro, o blogueiro secular recebeu as primeiras 50 chicotadas. A sentença foi suspensa por razões médicas, porém, depois de uma campanha que denunciou a desumana punição. Desde o início de dezembro, Badawi está em greve de fome, em protesto contra as condições de sua sentença.

Sua esposa, Ensaf Haidar, foi quem recebeu a condecoração em nome dele, em Estrasburgo. "Eu teria gostado de vê-lo recebendo este prêmio, mas, infelizmente, ele não está aqui", comentou, antes de transmitir ao Parlamento um pedido de Badawi: um minuto de silêncio em memória às vítimas do 13 de Novembro em Paris.

"Raif não é um criminoso. Ele é um pensador livre, um espírito livre", enfatizou Haidar. "Meu marido simplesmente expressou suas opiniões e as colocou no papel. Ele estava pensando num mundo melhor."

Badawi é a primeiro cidadão do Golfo Pérsico a receber o Prêmio Sakharov. Criado em 1988 e dotado em 50 mil euros, ele leva o nome do físico nuclear russo e defensor dos direitos humanos Andrei Sakharov.

No início deste ano, o blogueiro já fora agraciado com o Prêmio Liberdade de Expressão da Deutsche Welle, como parte de seu projeto The BOBs, que promove o ativismo online.

PV/epd/dpa