1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Jovem caminha com máscara em frente à Sagrada Família, em Barcelona
Todas as lojas, exceto supermercados e farmácias, fecharão as portas em todo paísFoto: imago images/ZUMA Wire/X. Ariza

Espanha decreta quarentena em todo o país

14 de março de 2020

Medida faz parte do estado de emergência declarado devido ao coronavírus. Mais de 47 milhões de pessoas ficarão confinadas em casa, podendo sair apenas para compras essenciais ou trabalhar. Quase todo o comércio fechará.

https://www.dw.com/pt-br/espanha-decreta-quarentena-em-todo-o-pa%C3%ADs/a-52771407

O governo da Espanha declarou neste sábado (14/03) estado de emergência nacional na tentativa de conter a propagação do coronavírus Sars-Cov-2, causador da doença covid-19. O país já conta quase 6 mil casos de infecção, com cerca de 180 mortos.

Como parte do estado de emergência declarado, com validade de 15 dias, o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, anunciou que o país decidiu limitar a livre circulação da população, colocando assim cerca de 47 milhões de pessoas sob quarentena parcial.

Os cidadãos serão instados a permanecer em casa, exceto em casos de emergência ou para comprar alimentos e medicamentos ou para ir ao trabalho. Algumas restrições à livre circulação já começam neste sábado, disse Sánchez.

As medidas – as mais drásticas aprovadas no país em décadas – estabelecem ainda, a partir deste sábado, o fechamento de escolas, assim como de empresas não essenciais, eventos esportivos e culturais e instalações de lazer. Todas as lojas, exceto supermercados e farmácias, fecharão as portas em todo país.

O transporte público também será reduzido, com operadoras de trens de média distância ordenadas a limitar seus serviços. O decreto não prevê, contudo, o fechamento das fronteiras.

O premiê afirmou estar ciente de que que as medidas terão um grande impacto sobre as pessoas e empresas do país, mas prometeu que o governo fará de tudo para mitigar os efeitos da crise.

A Espanha confirmou mais de 1.500 novos casos de coronavírus desde a noite de sexta-feira, elevando o total no país para 5.753, o segundo maior número na Europa depois da Itália. Até agora, a doença já matou 183 pessoas na Espanha.

Homem com máscara sanitária caminha diante do Real Palácio de Madri
Real Palácio de Madri: zona de risco do coronavírusFoto: picture-alliance/AA/B. Akbulut

Alemanha reforça restrições

Mais cedo, o instituto de saúde Robert Koch (RKI), em Berlim, ampliara as zonas internacionais de risco do novo coronavírus, com a inclusão da capital da Espanha, Madri, e do estado do Tirol, na Áustria.

Ambos foram classificados como áreas em que "pode-se concluir que haja uma transmissão continuada do vírus de pessoa a pessoa". Demais zonas de risco oficiais são Itália e Irã, a região francesa de Grande Leste (englobando a Alsácia, Lorena e Champanha-Ardenas) e províncias da China e Coreia do Sul.

O ministro alemão da Saúde, Jens Spahn, aconselhou neste sábado adotar quarentena voluntária. Sobretudo quem retorna de férias em locais de risco deve permanecer duas semana em casa, se possível.

Também neste sábado, as cidades de Berlim e Colônia anunciaram o fechamento de todos os bares, clubes, cinemas, teatros e casas de concerto em seus territórios.

"O Senado de Berlim decidiu hoje que, a partir de agora, todos os eventos públicos e não públicos em Berlim com 50 ou mais participantes estão proibidos", disse o governo da capital alemã em comunicado.

Museus, bordéis, piscinas e academias também fecharão as portas em Berlim, que – assim como outros estados alemães – decidiu manter fechadas as escolas a partir desta semana até o fim do feriado de Páscoa.

Colônia, no oeste alemão, com uma população de mais de 1 milhão de pessoas, disse que boates, bares, teatros, cinemas e salões de jogos ficarão fechados até 10 de abril. Igrejas e serviços religiosos também estão proibidos. Restaurantes e pubs que servem comida podem permanecer abertos, como em Berlim.

O sistema político descentralizado da Alemanha dita que cabe aos governos regionais decidir sobre tais medidas. Até este sábado, o Instituto Robert Koch registrou 3.795 infecções no país, com oito mortes.

Funcionários da municipalidade desinfectam metrô de Madri
Funcionários da municipalidade desinfectam metrô de MadriFoto: AFP/COMUNIDAD DE MADRID

Situação na Europa

Na Itália, aumenta o número dos jogadores da Serie A, a liga nacional de futebol, cujos testes de coronavírus foram positivos. Depois de Daniele Rugani, de 28 anos, do Juventus, na quarta-feira, foi confirmado que quatro profissionais do Sampdoria de Gênova estão infectados; assim como dois do ES Troyes, da segunda liga francesa. Luca Kilian, do SC Paderborn, é o primeiro caso do vírus na Bundesliga da Alemanha.

Devido aos efeitos da crise do coronavírus no tráfego aéreo internacional, a companhia holandesa KLM vai cortar até 2 mil vagas de trabalho: como numerosos voos tiveram que ser cancelados, é inevitável reduzir as jornadas, comunicou. Entre outros motivos, a KLM mencionou a proibição de ingresso de passageiros da Europa nos Estados Unidos, imposta por Washington.

Também a Swiss International, subsidiária da Lufthansa, reduziu significativamente sua oferta, tirando de circulação a metade de suas frotas de curtas e longas distâncias.

Na China, as autoridades registraram apenas 11 novos casos de covid-19. Segundo a Comissão Nacional de Saúde em Pequim, a maioria deles teria sido trazida do exterior: enquanto quatro dos pacientes são da cidade de Wuhan, os demais sete vieram de outros países.

AV/EK/ap/afp/rtr/sid/efe

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter