Entorno de Trump tem cada vez mais casos de infecção por covid-19 | Notícias internacionais e análises | DW | 03.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Estados Unidos

Entorno de Trump tem cada vez mais casos de infecção por covid-19

Ex-assessora do presidente Kellyanne Conway testa positivo, assim como dois senadores republicanos e gerente de campanha. Evento na Casa Branca pode ter sido foco de contágios.

Trump acena com polegar para repórteres ao caminhar para o helicóptero que o levou ao hospital

Trump acena para repórteres ao caminhar para o helicóptero que o levou ao hospital

Cada vez mais infecções por covid-19 são reveladas no entorno do presidente dos EUA, Donald Trump. Nos dias anteriores à notícia de que ele foi testado positivo para o coronavírus, Trump viajou muito, esteve próximo de dezenas de pessoas. Um evento em especial passa a ser foco das atenções: o encontro de sábado passado no jardim da Casa Branca, onde Trump anunciou a indicação da juíza conservadora Amy Coney Barrett para uma vaga na Suprema Corte dos EUA.

Após anunciar que ele e a primeira-dama têm covid-19, Trump foi internado nesta sexta-feira (02/10) em um hospital militar como "precaução", onde iniciou uma terapia com o antiviral Remdesivir, segundo a Casa Branca.

Mais de 100 convidados estiveram reunidos no jardim, em fotos e vídeos, pode ser visto que havia poucas máscaras e pouca manutenção de distância entre as pessoas. De acordo com a emissora CNN, muitos dos participantes se abraçaram ou apertaram as mãos.

Ao menos seis contaminados

Pelo menos seis dos presentes testaram positivo para o coronavírus desde então: além de Trump e sua mulher, Melania, também estão contaminados a ex-assessora do presidente Kellyanne Conway, – que afirmou na noite de sexta-feira ter testado positivo e apresentar leves sintomas –, assim como os senadores republicanos Mike Lee e Thom Tillis.

Lee, que não usou máscara durante o encontro, disse ter "sintomas consistentes com alergias de longo tempo". Tillis, que usou máscara, disse não apresentar sintomas. Ambos afirmaram que ficarão por 10 dias em quarentena – que terminará pouco antes do início das audiências para aprovação de Barret no Senado.

Outro convidado do evento no jardim da Casa Branca, o presidente da Universidade Católica de Notre Dame, John Jenkins, também confirmou estar infectado.

Público sentado no jardim da Casa Branca

Anúncio de Coney Barrett para Suprema Corte no jardim da Casa Branca: poucas máscaras e sem distanciamento

Crescem especulações de que o encontro pode ter sido um foco de contágios. A própria juíza Amy Coney Barrett, entretanto, disse na sexta-feira que não testou positivo para o vírus.

Além disso, também foi divulgado que o gerente da campanha de Trump, Bill Stepien, está infectado. A equipe de campanha confirmou uma informação divulgada pela revista Politico. Stepien tem sintomas leves, como os da gripe. Ele continua trabalhando para a campanha do presidente de casa.

A presidente do Comitê Nacional Republicano, Ronna McDaniel, também anunciou na sexta-feira ter testado positivo para a covid-19.

Testes negativos

O vice-presidente Mike Pence, que assumirá o poder no caso de Trump ficar incapacitado para exercer o cargo, apresentou resultado negativo nesta sexta-feira, assim como Barron, filho adolescente do presidente americano.

Ivanka Trump e Jared Kushner, filha e genro do presidente e conselheiros próximos, também tiveram resultados negativos, assim como o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin e o secretário da Saúde, Alex Azar.

Trump anunciou ter testado positivo para o coronavírus depois que Hope Hicks, uma de suas colaboradoras próximas, ter sido diagnosticada com a doença. Hicks estava a bordo do avião presidencial Air Force One no voo para Cleveland, nesta terça-feira, junto com Trump, a caminho do debate entre o presidente e democrata Joe Biden. A assessora também viajou com Trump na quarta-feira para o estado de Minnesota, onde participou de uma reunião de campanha.

Aos 74 anos, o mandatário está no grupo de alto risco em razão de sua idade e por estar acima do peso. Durante sua presidência, ele apresentou boas condições de saúde, mas é conhecido por não se exercitar regularmente e por não manter uma dieta saudável.

Desde o início da pandemia de covid-19, Trump vinha menosprezando a doença. Ele chegou mesmo a afirmar várias vezes que o vírus iria desaparecer. O presidente ignorou em diversas ocasiões os alertas das autoridades de saúde e vinha realizando eventos de campanha com grande presença de público.

MD/dpa/afp/ap

Leia mais