Em novo recorde, Brasil registra 4.195 mortes por covid-19 em 24 horas | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 06.04.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Em novo recorde, Brasil registra 4.195 mortes por covid-19 em 24 horas

É a primeira vez que o país rompe a barreira das 4 mil mortes por dia. Fiocruz informa que taxa de letalidade na última semana foi de 4,2% entre os infectados pela doença, 0,9 ponto percentual acima da semana anterior.

Coveiros com roupas protetoras caminham em cemiterio

Foram confirmados também 86.979 novos casos da doença

O Brasil registrou oficialmente 4.195 mortes ligadas à covid-19 nas últimas 24 horas, segundo dados divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass) nesta terça-feira (06/04). É a primeira vez que o país rompe a barreira das 4 mil mortes registradas por dia.

Também foram confirmados 86.979 novos casos da doença. Com isso, o total de infecções no país chega a 13,1 milhões, e os óbitos somam 336.947.

Os números desta terça também refletem casos acumulados durante o último feriado, de Páscoa, e do final de semana, quando equipes responsáveis pela notificação trabalham em escala reduzida.

Diversas autoridades e instituições de saúde alertam, contudo, que os números reais devem ser ainda maiores, em razão da falta de testagem em larga escala e da subnotificação.

O Conass não divulga número de recuperados. Segundo o Ministério da Saúde, 11.436.189 pacientes haviam se recuperado da doença.

Com os dados de óbitos registrados nesta terça, a taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes subiu para 160,3 no país.

Mortalidade em alta

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgou um boletim extraordinário do Observatório Covid-19 nesta terça em que prevê que a pandemia permanecerá em níveis críticos ao longo do mês de abril.

Segundo a Fiocruz, a taxa de letalidade entre os infectados pela doença na semana epidemiológica de 28 de março a 3 de abril foi de 4,2%, 0,9 ponto percentual acima da taxa da semana anterior. No final de 2020, esse indicador era de cerca de 2%.

Os pesquisadores da fundação afirmam que crescimento da letalidade pode ser consequência "da falta de capacidade de se diagnosticar, correta e oportunamente, os casos graves, somado à sobrecarga dos hospitais".

Covid-19 no mundo

Segundo o site Our World in Data, 11.881 mortes foram registradas em decorrência de covid-19 em todo o mundo nesta terça-feira, sendo mais de um terço delas, ou 4.195, no Brasil.

Em números absolutos, o Brasil é o segundo país do mundo com mais infecções e mortes, atrás apenas dos Estados Unidos, que somam mais de 30,78 milhões de casos e mais de 555 mil óbitos, segundo contagem mantida pela universidade americana Johns Hopkins.

Ao todo, mais de 132,1 milhões de pessoas já contraíram o coronavírus em todo o mundo, segundo números oficiais, e 2,86 milhões de pacientes morreram em decorrência da doença.

bl/as (ots)