Eleições locais impõem revés para Renzi | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 20.06.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Eleições locais impõem revés para Renzi

Resultados em Roma, que pela primeira vez terá uma prefeita, e Turim, tradicional reduto da esquerda, fortalecem partido de protesto e ligam sinal de alerta para premiê, que em outubro joga seu destino em referendo.

Assistir ao vídeo 01:03
Ao vivo agora
01:03 min

Virginia Raggi é a primeira prefeita de Roma

O Movimento Cinco Estrelas, um partido antiestabilishment criado pelo comediante Beppe Grillo, fez história neste domingo (19/06) ao tirar do Partido Democrático (PD), do primeiro-ministro Matteo Renzi, as prefeituras de Roma e Turim.

Em Roma, Virgínia Raggi, uma advogada de 37 anos, com dois anos de experiência como vereadora, venceu o segundo turno com 67,2% votos, contra 32,8% de Roberto Giaccheti, do PD.

"Uma nova era está começando conosco. Trabalharemos para trazer de volta a legalidade e transparência nas instituições municipais", disse Raggi.

Embora a vitória de Raggi seja simbólica – ela será a primeira prefeita mulher da capital – o verdadeiro e inesperado golpe para o PD e para Renzi foi a derrota em Turim, um dos redutos históricos da esquerda.

A candidata do M5S, Chiara Appendino, ganhou no segundo turno das eleições municipais com 54,6%, enquanto o atual prefeito e membro histórico do PD, Piero Fassino, teve 45,4%.

"Fizemos história. Esse não foi um voto de protesto, mas de orgulho e mudança", disse Appendino. Em Milão e Bolonha, os candidatos do partido governista ganharam a eleição.

Ainda que Renzi tenha insistido em se distanciar do resultado, as eleições representaram um duro revés para o primeiro-ministro – e a confirmação de que o movimento fundado por Beppe Grillo é uma verdadeira alternativa política para o país.

Os resultados podem ser uma antecipação do referendo que o país realizará em outubro, quando os italianos terão que decidir sobre a grande reforma constitucional pela qual Renzi lutou desde que chegou ao governo. Se os italianos não aprovarem a reforma, Renzi já disse que renunciará.

O Movimento Cinco Estrelas foi criado em protesto contra corrupção na vida pública italiana. O partido controlava até agora apenas cidades pequenas, como Parma. O sucesso em Roma e Turim pode ser fundamental para garantir ao movimento vitórias importantes também nas eleições nacionais em 2018.

Nos últimos meses, o fundador do movimento, Grillo, deixou a linha de frente do partido e abriu espaço para candidatos jovens.

Entre as propostas do movimento, estão um programa de ajuda financeira universal para os mais carentes, penas mais duras para crimes de evasão fiscal e do colarinho branco, além de acabar com processos de privatizações e diminuir impostos a pequenas empresas.

CN/lusa/afp/rtr/ap

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados