Dresden perde título de Patrimônio Mundial da Unesco | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 25.06.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Dresden perde título de Patrimônio Mundial da Unesco

Devido a uma ponte polêmica, um trecho de 18 quilômetros do Vale do Elba que corta a cidade de Dresden perdeu o título de Patrimônio Mundial da Unesco. Para população, título é dispensável, apesar das perdas financeiras.

Vale do rio Elba, com canteiro de obras da futura ponte ao fundo

Vale do rio Elba, com canteiro de obras da futura ponte ao fundo

Reunido em Sevilha nesta quinta-feira (25/06), o Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco concluiu que a construção de uma ponte com quatro pistas, visível a partir do centro histórico de Dresden, afeta de forma irreparável a paisagem cultural do Vale do Elba em um ponto especialmente sensível.

É a segunda vez na história da Unesco que um Patrimônio Mundial perde o título. Em 2007, o Santuário Natural de Órix Árabe, em Omã, foi retirado da lista devido à redução da área de preservação ambiental.

Vale do rio Elba

Em 2004, a Unesco havia agraciado 18 quilômetros do Vale do Elba com o título de Patrimônio Mundial da Humanidade. Além de se estender por vastos campos, o rio Elba corta o centro da cidade de Dresden. A partir dele, pode-se ver a Ópera Semper, a igreja Frauenkirche e as construções barrocas do Museu Zwinger.

O título havia sido concedido devido a esses e outros edifícios, às coleções de arte que abrigam, ao trabalho paisagístico e de jardinagem da região, que, em sua maioria, remontam aos séculos 18 e 19.

Dresdner Elbtal bleibt vorerst auf UNESCO-Liste

Dresden foi Patrimônio Mundial de 2004 a 2009

Em fevereiro de 2005, os habitantes da cidade haviam se decidido pela construção da ponte através de um plebiscito. Na época, no entanto, ainda não sabiam que a obra implicaria a perda do título concedido pela Unesco. Apesar da intensa intervenção da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, a cidade iniciou a controversa construção da ponte sobre o rio Elba em novembro de 2007.

Na ocasião, integrantes do comitê sinalizaram que nada teriam contra a construção de um túnel sob o rio. Mas, apesar das ameaças da organização, o estado da Saxônia e as lideranças da cidade optaram pela construção da ponte.

Consequências financeiras

Já há três anos, o Vale do Elba estava na lista de patrimônios em perigo da Unesco. No ano passado, o Comitê do Patrimônio Mundial anunciou que a cidade perderia o título definitivamente, caso não desistisse da construção da ponte.

Com a decisão, os delegados de 21 países reunidos em Sevilha e eleitos pelos 186 Estados que assinaram a convenção da Unesco seguem uma recomendação do Centro do Patrimônio Mundial, em Paris.

Para a cidade, a perda do título terá sérias consequências financeiras. Além de eventualmente receber menos turistas, a cidade deixará de receber a verba relativa ao programa de apoio aos Patrimônios Mundiais alemães, dotado de150 milhões de euros.

Para uma comissão de especialistas convocada pelo Ministério alemão de Transportes, Obras e Planejamento Urbano, não há razão para a cidade continuar recebendo a ajuda financeira.

Título dispensável

Computersimulation Waldschlösschenbrücke Dresden

Maquete virtual da nova ponte sobre o Elba

O ministro alemão da Cultura, Bernd Neumann, por sua vez, lamentou a decisão que pôs um fim à longa briga entre a cidade de Dresden, o estado da Saxônia e o Comitê do Patrimônio Mundial.

"É mais que lamentável que as partes interessadas não tenham chegado a um acordo", disse o ministro, lembrando que o governo alemão sempre tentou atuar como mediador na disputa, embora não tenha podido exercer influência direta sobre a decisão de construir a ponte.

Mas, por pior que a perda pareça, pesquisas atuais de opinião pública apontam que a maioria dos habitantes de Dresden acha que o título de Patrimônio Mundial é dispensável.

CA/dw/dpa/reuters/ap

Revisão: Rodrigo Abdelmalack

Leia mais