Dezesseis filmes disputam indicação ao Oscar | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 06.09.2016

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Cultura

Dezesseis filmes disputam indicação ao Oscar

Longa escolhido na próxima semana será o representante brasileiro por uma vaga entre os indicados a melhor filme em língua estrangeira. Lista conta com "Aquarius" e "Chatô - O rei do Brasil".

Filme Aquarius gerou polêmica por protesto contra o impeachment de Dilma Roussef no Festival de Cannes, em maio

Filme "Aquarius" gerou polêmica por protesto contra o impeachment de Dilma Roussef no Festival de Cannes, em maio

Dezesseis longas nacionais participarão da seleção que escolherá o representante brasileiro na disputa por uma vaga entre os indicados a melhor filme em língua estrangeira do Oscar 2017. A lista foi divulgada pela Secretaria do Audiovisual, nesta segunda-feira (05/09). O número de inscrições quase dobrou em relação ao ano anterior, que teve nove concorrentes à indicação.

O período de inscrições encerrou-se em 31 de agosto e, até sexta-feira, foi aceito material postado até o término das inscrições. Após esse período, o Ministério da Cultura analisou a documentação recebida para a habilitação dos candidatos. "No ano passado, houve nove filmes inscritos. Já este ano foi quase o dobro", afirmou o secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, Alfredo Bertini.

O filme A Hora e a Vez de Augusto Matraga, de Vinicius Coimbra, foi inabilitado por ter sido lançado fora do período exigido pela academia americana, de 1° de outubro de 2015 a 30 de setembro de 2016.

A seleção brasileira de filmes, no entanto, também teve a sua polêmica. Conforme previamente anunciado, os longas Boi neon, de Gabriel Mascaro, e Mãe só há uma, de Anna Muylaert, estão fora da lista. Ambos os diretores retiraram suas obras por questionarem a imparcialidade da comissão, alvo de polêmica porque o crítico e integrante da comissão Marcos Petrucelli condenou o protesto contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em Cannes pela equipe do filme Aquarius, além de ter acusado o diretor Kleber Mendonça Filho de ter usado dinheiro público para viajar ao festival francês.

Em 12 de setembro, após avaliação dos integrantes da comissão especial, será anunciado o nome do filme escolhido, em cerimônia na Cinemateca Brasileira, em São Paulo. A escolha da película é realizada por uma comissão nomeada pelo Ministério da Cultura especialmente para esse fim, composta por integrantes de "currículos robustos de diversas partes do Brasil" e que "integram diversas etapas da cadeia produtiva do audiovisual", explicou Bertini.

A comissão é formada por Adriana Scorzelli Rattes, Luiz Alberto Rodrigues, George Torquato Firmeza, Marcos Petrucelli, Paulo de Tarso Basto Menelau, Silvia Maria Sachs Rabello, Sylvia Regina Bahiense Naves, Carla Camurati e Bruno Barreto.

Confira a lista completa:

A Despedida, de Marcelo Galvão

Mais Forte que o Mundo, de Afonso Poyart

O Outro Lado do Paraíso, de André Ristum

Pequeno Segredo, de David Schürmann

Chatô - O Rei do Brasil, de Guilherme Fontes

Uma Loucura de Mulher, de Marcus Ligocki Júnior

Aquarius, de Kleber Mendonça Filho

Nise - O coração da loucura, de Roberto Berliner

Vidas Partidas, de Marcos Schetchman

O Começo da Vida, de Estela Renner

Menino 23: Infâncias perdidas no Brasil, de Belisario França

Tudo que Aprendemos Juntos, de Sérgio Machado

Campo Grande, de Sandra Kogut

A Bruta Flor do Querer, de Andradina Azevedo e Dida Andrade

Até que a Casa Caia, de Mauro Giuntini

O Roubo da Taça, de Caito Ortiz

PV/ots

ERRAMOS: Diferente do informado anteriormente, "Aquarius", de Kleber Mendonça Filho, está na lista dos filmes brasileiros que concorrem a uma indicação ao Oscar 2017.

Leia mais