Coreia do Norte volta a lançar mísseis | Notícias internacionais e análises | DW | 24.07.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Coreia do Norte volta a lançar mísseis

Esse é o primeiro lançamento desde o último encontro entre Kim Jong-un e Donald Trump em junho. Coreia do Sul diz que dois mísseis caíram no mar.

Míssil lançado pela Coreia do Norte em maio

Último lançamento de mísseis por Pyongyang havia ocorrido em maio

A Coreia do Norte lançou nesta quinta-feira (25/07) dois mísseis de tipos ainda não identificados a partir de sua costa leste, informaram militares sul-coreanos. A informação foi confirmada por uma fonte governamental do Japão.

Segundo o Conselho do Estado-Maior da Coreia do Sul, os lançamentos foram feitos nas proximidades da cidade de Wonsan e rumo ao mar, com uma trajetória de cerca de 430 quilômetros. "Nossas Forças Armadas estão monitorando de perto a situação", disse o órgão em comunicado citado pela agência sul-coreana de notícias Yonhap.

Um dos mísseis foi disparado às 5h34 (horário local), e o outro, 23 minutos depois. A nota oficial acrescenta que tanto autoridades da Coreia do Sul como as dos Estados Unidos estão analisando as informações disponíveis para identificar os mísseis lançados.

Ainda segundo o comunicado, os dois mísseis caíram em águas do Mar do Japão, chamado de Mar do Leste pelas duas Coreias.

O último lançamento de mísseis por Pyongyang havia ocorrido em maio e foi supervisionado pessoalmente pelo líder norte-coreano, Kim Jong-un. De acordo com a agência estatal de notícias norte-coreana KCNA, Kim, ao lado de comandantes do programa de mísseis do país, teria inspecionado na terça-feira um submarino recém-construído.

Esse foi o primeiro lançamento de um míssil pela Coreia do Norte desde o encontro entre Kim e o presidente americano, Donald Trump, na zona desmilitarizada entre as duas Coreias no final de junho. Os dois estão negociando o encerramento do programa nuclear do país asiático.

Na ocasião, Trump se tornou o primeiro presidente americano em exercício a pisar em território norte-coreano. O novo encontro foi o mais recente marco na instável diplomacia entre ambos os países nos últimos dois anos, com Trump chamando Kim de "pequeno homem-foguete" e ameaças de destruição por parte da Coreia do Norte.

Aquele foi o terceiro encontro entre os presidentes dos dois países, depois da cúpula de Cingapura, em junho de 2018, e do encontro de Hanói, no Vietnã, em fevereiro passado, que terminou abruptamente após divergências entre os líderes.

CN/efe/lusa/rtr/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter

Leia mais