Coreia do Norte define delegação para diálogo com Seul | Notícias internacionais e análises | DW | 07.01.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Coreia do Norte define delegação para diálogo com Seul

Líder do Comitê para a Reunificação Pacífica da Coreia ficará à frente de representantes de Pyongyang em primeira reunião bilateral de alto nível em dois anos. Abe saúda encontro, e Trump cogita diálogo com Kim.

Kim Jong-un

Reativação das comunicações ocorre após aceno de Kim Jong-un a Seul em sua mensagem de Ano Novo

A Coreia do Norte nomeou sua delegação para a primeira reunião de alto nível com a Coreia do Sul em mais de dois anos, disse o ministro da Unificação em Seul neste domingo (07/01).

Na última sexta-feira, as duas Coreias concordaram em estabelecer o diálogo oficial na próxima terça-feira em Panmunjo, na zona desmilitarizada na fronteira entre os dois países.

No encontro, deve ser discutida a participação do Norte nos Jogos Olímpicos de Inverno a serem realizados em PyeongChang, na Coreia do Sul, em fevereiro, bem como uma melhora de relações a nível geral.

Leia também: 

Confronto com Coreia do Norte é também choque de duas abordagens

A estratégia de Kim ao oferecer diálogo à Coreia do Sul

A delegação norte-coreana será liderada por Ri San-gwon, que dirige no seu país o Comitê para a Reunificação Pacífica da Coreia. Outros quatro membros integrarão o grupo, incluindo autoridades da pasta de Esportes.

Seul, por sua vez, propôs no sábado enviar uma delegação composta pelo ministro de Unificação, Cho Myoung-gyon, dois vice-ministros de Unificação e dois vice-ministros de Esportes.

A tentativa de reaproximação entre as duas Coreias se dá depois de o líder norte-coreano, Kim Jong-un, ter alertado em seu discurso de Ano Novo que tem um botão nuclear em sua mesa e também ter dito que Pyongyang poderia enviar uma delegação para os Jogos de Inverno. Seul respondeu com a oferta de diálogo, e a linha direta entre os dois países foi restabelecida.

Desde que assumiu o governo em maio passado, o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, adotou uma postura favorável à retomada das relações com Pyongyang e de projetos de cooperação entre os dois países.

Kim disse em seu pronunciamento de Ano Novo desejar sucesso para os Jogos de Inverno, a serem realizados entre 9 e 25 de fevereiro, enquanto Seul e Washington decidiram adiar seus exercícios militares conjuntos anuais, que sempre irritam Pyongyang, para depois do evento esportivo.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, saudou neste domingo a reunião entre as duas Coreias, ressaltando que os Jogos Olímpicos são uma celebração de paz. O presidente dos EUA, Donald Trump, por sua vez, foi um passo adiante e disse estar disposto a travar conversações diretas com Kim sob certas condições.

As duas Coreias são separadas pela fronteira mais militarizada do mundo desde o fim da Guerra da Coreia, em 1953. Nos últimos meses, o Norte realizou uma série de testes com mísseis e seu sexto e mais poderoso teste nuclear, violando resoluções da ONU.

LPF/efe/afp/dpa

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais