Coreia do Norte dá prazo aos EUA | Notícias internacionais e análises | DW | 13.04.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Coreia do Norte dá prazo aos EUA

O ditador norte-coreano, Kim Jong-un, diz estar aberto a um terceiro encontro com Trump, caso os EUA proponham até o fim do ano condições aceitáveis para um acordo.

Ditador norte-coreano, Kim Jong-un, durante discurso

Ditador norte-coreano, Kim Jong-un

O ditador norte-coreano, Kim Jong-un, declarou neste sábado (13/04) estar aberto a realizar um terceiro encontro de cúpula com o presidente americano, Donald Trump, caso os Estados Unidos proponham condições mutuamente aceitáveis para um acordo até o fim deste ano.

Segundo a Agência Central de Notícias Coreana (KCNA, na sigla em inglês), sediada em Pyongyang, Kim fez a afirmação num discurso proferido durante uma sessão do Parlamento norte-coreano, no qual atribuiu o fracasso da cúpula de fevereiro ao que descreveu como "exigências unilaterais dos Estados Unidos", embora acrescentando que a sua relação pessoal com Trump continua boa.

Kim Jong-un repetiu afirmações anteriores de que a fragilizada economia da Coreia do Norte crescerá, apesar das pesadas sanções internacionais impostas devido ao seu programa de armas nucleares, e garantiu que não ficará "obcecado com cúpulas com os Estados Unidos, por necessidade de alívio de sanções".

Washington afirmou que a cúpula não foi bem-sucedida devido às excessivas exigências de alívio de sanções por parte de Pyongyang em troca de medidas de desarmamento limitadas.

"É claro que nós damos importância à resolução de problemas através do diálogo e de negociações. Mas o estilo de diálogo dos Estados Unidos, de impor unilateralmente as suas exigências, não se ajusta a nós, e não temos interesse nele", declarou Kim no discurso.

"Esperaremos com paciência até o fim do ano que os Estados Unidos apresentem uma decisão corajosa. Mas será claramente difícil que surja uma boa oportunidade como da última vez", acrescentou.

Na sexta-feira, a KCNA noticiou que Kim foi reeleito como presidente da Comissão de Assuntos de Estado, o mais importante órgão de decisão do país, durante uma sessão da Assembleia Popular Suprema, que saudou a sua "excecional sabedoria ideológica e teórica e liderança experiente".

Na quinta-feira, Trump se encontrou com o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, em Washington, Na reunião, os líderes concordaram sobre a importância das conversações nucleares com a Coreia do Norte. "Uma terceira cúpula pode acontecer", declarou Trump, ao receber o homólogo sul-coreano na Casa Branca. 

Trump e Kim se encontraram pela primeira vez em junho do ano passado em Cingapura. Uma segunda reunião ocorreu em fevereiro passado em Hanói, mas terminou abruptamente, após não ter sido obtido um acordo sobre a questão da destruição das armas nucleares norte-coreanas.

MD/lusa/rtr/dpa/afp/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

 

Leia mais