Copa da Rússia terá tecnologia do árbitro de vídeo | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 17.03.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Esporte

Copa da Rússia terá tecnologia do árbitro de vídeo

Fifa aprova, pela primeira vez, uso de imagens de vídeo para auxiliar árbitros em decisões no Mundial. Enquanto presidente da federação argumenta que partidas serão mais justas, críticos reprovam interrupções nos jogos.

Sistema VAR já é usado em partidas da Bundesliga, a primeira divisão do Campeonato Alemão

Sistema VAR já é usado em partidas da Bundesliga, a primeira divisão do Campeonato Alemão

A Fifa aprovou nesta sexta-feira (16/03) o uso de imagens de vídeo para auxiliar árbitros em partidas de futebol – tecnologia conhecida como VAR – na Copa do Mundo da Rússia. A decisão é histórica para o esporte e promete promover um grande impacto nas regras da modalidade.

A decisão foi assinada pelo presidente da Fifa, Gianni Infantino, em um encontro do conselho do órgão em Bogotá, na Colômbia. O anúncio vem duas semanas depois do International Board (Ifab), que regulamenta as regras do futebol, ter dado sinal verde ao uso da tecnologia na Rússia.

Leia tambémO que ficou da Alemanha do 7 x 1?

"Teremos em 2018, pela primeira vez, uma Copa do Mundo com VAR", declarou Infantino. "O que queremos é dar ao árbitro a possibilidade de contar com uma ajuda extra quando ele tiver que tomar decisões importantes – e na Copa do Mundo tomamos decisões muito importantes."

Segundo o presidente da Fifa, "não é possível que, em 2018, todo mundo no estádio e em casa saiba em alguns segundos se o árbitro cometeu um erro grave, e o próprio árbitro não – não porque ele não quer saber, mas porque nós proibimos ele de saber". "O VAR vai ajudar o árbitro nisso, e então teremos partidas mais justas e transparentes", argumentou.

De acordo com o protocolo de uso da International Board, os árbitros poderão recorrer ao auxílio eletrônico em apenas quatro situações em uma partida: gols, pênaltis, cartões vermelhos ou erro de identificação de um jogador em uma expulsão ou advertência.

Infantino garantiu que o sistema estará pronto para o Mundial e destacou que a Fifa confia no presidente da comissão de árbitros, Pierluigi Collina, para implementar o sistema na Rússia. Trinta e seis árbitros e seus assistentes estão sendo treinados pelo órgão para utilizar o VAR na Copa do Mundo. Muitos são de países que não usam a tecnologia em seus campeonatos nacionais.

O sistema de uso de imagens de vídeo para o auxílio de árbitros já vem sendo testado desde 2016 por 20 federações de futebol, incluindo a alemã Bundesliga e a Serie A italiana. Cerca de mil partidas já foram disputadas com o VAR.

Uma das críticas acerca da tecnologia é o tempo que a imagem leva para chegar até os árbitros – uma desvantagem que deixou muitos torcedores frustrados, alegando que a demora para confirmar a decisão acaba interrompendo o fluxo do jogo.

O presidente da Fifa argumentou, por sua vez, que a intervenção do VAR leva em média um minuto por jogo. "Se perdemos um minuto para corrigir erros, acho que temos uma vantagem", declarou Infantino no início desta semana, em visita a Lima, no Peru.

Em comunicado mais tarde nesta sexta-feira, a Fifa anunciou ainda uma outra mudança nas regras para a Copa do Mundo de 2018: se a partida for para a prorrogação, as equipes terão direito a uma quarta substituição de jogador.

EK/afp/ap/efe/rtr

_____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais