Cooperação entre China e EUA é a única alternativa, diz presidente Xi Jinping | Cobertura especial sobre as eleições nos Estados Unidos | DW | 14.11.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Eleições nos EUA

Cooperação entre China e EUA é a única alternativa, diz presidente Xi Jinping

Afirmação foi feita pelo chefe de Estado chinês em telefonema com Donald Trump. Conversa relativiza incertezas sobre o futuro das relações bilaterais entre as duas potências mundiais.

Cooperação é a "única opção certa para a China e s Estados Unidos”, declarou por telefone, nesta segunda-feira (14/11), o presidente chinês, Xi Jinping, ao chefe de Estado americano eleito, Donald Trump. Essa foi a primeira interação entre os dois políticos desde a eleição do republicano na semana passada, após uma campanha presidencial marcada por críticas ao gigante asiático e ameaças de taxar produtos chineses em até 45%.

O conteúdo do telefonema foi noticiado pela rede de televisão chinesa CCTV. De acordo com a estatal, Xi disse a Trump que ambos "precisam promover o desenvolvimento econômico dos dois países, assim como o crescimento econômico global”, e "pressionar por uma melhor evolução das relações sino-americanas”. Trump e Xi teriam concordado haver muitas áreas emq ue isso é possível, além de manifestar a intenção de se encontrar "em breve”.

A eleição de Trump levantou incertezas quanto ao futuro das relações entre as duas maiores economias do mundo, num momento em que os chineses também passam por reformas e crescimento desacelerado. Durante a campanha, Trump acusou a China, entre outras coisas, de roubar empregos americanos, ameaçou aprovar tarifas sobre produtos chineses importados e prometeu declarar o país como manipulador de divisas, o que acarretaria sanções por parte de Washington.

Num sinal de que a relação bilateral será mantida, porém, a equipe do republicano confirmou o telefonema: "Durante a conversa, os líderes estabeleceram um senso nítido de respeito mútuo, e o presidente eleito Trump afirmou acreditar que ambos estabelecerão uma das mais fortes relações entre os dois países”, informou a equipe de transição.

IP/lusa/efe/rtr

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados