Controle reforçado gera tensão na fronteira entre Colômbia e Venezuela | Notícias sobre a América Latina e as relações bilaterais | DW | 09.02.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Controle reforçado gera tensão na fronteira entre Colômbia e Venezuela

Multidão aguarda horas para atravessar fronteira com a Colômbia. Milhares de venezuelanos são barrados e alguns tentam, em vão, entrar à força no país vizinho.

Multidão na fronteira em Cúcuta, na Colômbia

Venezuelanos aguardaram horas na divisa do país

Um dia após o anúncio do reforço de segurança na fronteira, milhares de venezuelanos que tentaram entrar na Colômbia pela cidade de Cúcuta protagonizaram momentos de tensão nesta sexta-feira (09/02) na ponte internacional Simón Bolívar, onde começaram a vigorar novos controles de acesso.

Uma multidão esperava desde muito cedo sob um forte sol que as autoridades colombianas revisassem seus documentos. Testemunhas relatam que tiveram que esperar cerca de quatro horas na fila para conseguir entrar na Colômbia. Alguns venezuelanos tentaram pular as cercas metálicas, o que obrigou a polícia a intervir.

Leia mais: Os garimpeiros do esgoto de Caracas

Os agentes que normalmente controlam a fronteira junto com efetivos do Departamento de Migração da Colômbia receberam o apoio do Esquadrão Móvel Antidistúrbios da polícia colombiana e, inclusive, foram mobilizados blindados para controlar a situação.

Imagens divulgadas por emissoras locais mostram venezuelanos tentavam convencer as autoridades a não lhes impedirem a passagem.

"Estão fechando as portas da única saída que temos. Não queremos incomodar a Colômbia, o que fazemos é por pura necessidade", disse um venezuelano à rede de televisão colombiana RCN.

Milhares de venezuelanos teriam sido impedidos de entrar na Colômbia, segundo a impressa local. Alguns dos barrados tentavam passar pelo controle com Cartões de Mobilidade Fronteiriça, que permitem visitas temporárias ao país, vencidos.

Diariamente, cerca de 37 mil pessoas atravessam a ponte Simón Bolívar em direção à Colômbia, mas o aumento dos controles fronteiriços dificultou essa travessia e criou um caos na região.

Para tentar conter o fluxo migratório, o governo colombiano tornou obrigatório carimbar o passaporte na entrada do país e suspendeu a emissão de Cartões de Mobilidade Fronteiriça.

O número de venezuelanos que se instalaram definitivamente no país aumentou 62% desde meados de 2017. Estima-se que mais de 550 mil venezuelanos estejam vivendo na Colômbia atualmente. 

A Venezuela enfrenta uma grave crise econômica e política. A escassez de produtos básicos e o desemprego levaram milhares de venezuelanos a deixar o país. A onda migratória atingiu especialmente países que fazem fronteira com a Venezuela, como a Colômbia e o Brasil.

CN/efe/lusa/dpa

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais