Construção de filarmônica pode virar pesadelo para Hamburgo | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 30.11.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Construção de filarmônica pode virar pesadelo para Hamburgo

Hamburgo pretendia criar um marco arquitetônico internacional com a construção da nova Filarmônica do Elba. No entanto, com a explosão dos custos, o projeto ameaça se tornar um pesadelo para a cidade.

default

Maquete virtual do projeto da Filarmônica do Elba

Desde 2005, a Fundação Filarmônica do Elba angaria recursos para o financiamento de uma edificação localizada num cabo do Porto de Hamburgo. Assentada sobre a estrutura revestida de tijolo cerâmico do antigo Armazém do Imperador, de longe poderá ser vista a cobertura ondulada do prédio da Filarmônica do Elba, projetado pelos arquitetos suíços Herzog & de Meuron.

O valor inicial de construção, orçado em 186 milhões de euros, era o que se poderia chamar de um "preço político". Um cálculo baixo, com o qual se iniciou a discussão sobre a exeqüibilidade do projeto. O chamado "preço final", negociado com a construtora Hochtief, ficou estipulado em 241 milhões de euros.

Não se tem mais certeza de nada

Elbphilharmonie Präsentation, Lieben-Seutter

Diretor-geral Lieben-Seutter acreditava na manutenção de prazo de conclusão

As más notícias começaram a chegar em meados deste ano. A Filarmônica do Elba deveria ser inaugurada em 2010, mas ficara claro, naquele momento, que as obras se prolongariam por pelo menos mais um ano. "Nas últimas semanas, perdemos a certeza de conseguir manter a data de inauguração prevista para setembro de 2010", afirmou Karin von Welck, secretária de Cultura de Hamburgo, em junho último.

Na ocasião, Cristoph Lieber-Seutter, diretor-geral da Filarmônica do Elba, ainda estava otimista quanto ao cronograma da primeira temporada de apresentações. "Adiado não é cancelado. Finalmente, temos uma segurança de planejamento justamente no momento em que o projeto ameaçava degringolar", afirmou Lieber-Seutter.

Hoje, não se fala mais em "segurança de planejamento". Atrações musicais para a temporada 2011/2012 não estão mais sendo agendadas. Ficou claro que, tratando-se de um projeto tão único, nada pode ser previsto com segurança. Uma quantia de 10 milhões de euros foi destinada para imprevistos na construção – na atual situação, uma soma considerada um pouco risível.

Em setembro último, correram boatos de que os custos da construção extrapolariam pelo menos em 100 milhões de euros o orçamento previsto para ser definitivo.

A Ópera de Sidney não é nenhum consolo

Das Opernhaus in Sydney

Ópera de Sidney já não é mais consolo para críticos da filarmônica

Hoje, ninguém mais duvida de que o custo total final extrapole em muito a barreira dos 300 milhões de euros. Ainda não se sabe, todavia, de onde virá o dinheiro: a prefeitura e a empreiteira Hochtief ainda brigam.

Em Hamburgo, a confiabilidade política do governo está em jogo. Devido às várias regiões carentes na cidade, que poderiam muito bem fazer uso dos recursos investido no projeto, ninguém aceita mais a comparação com a Ópera de Sidney, cuja conclusão foi adiada por oito anos e custou várias vezes o valor do orçamento inicial.

O prefeito em exercício da cidade-Estado, Ole von Beust, já teve que se justificar várias vezes pelo custo de 241 milhões de euros. Como defesa, Von Beust refere-se sempre à qualidade superior da construção, que atrairia muitas pessoas a Hamburgo.

Sinal já enviado

No momento, Von Beust se tornou mais cauteloso. Com a demissão de Hartmut Wegener, presidente da sociedade responsável pela construção da Filarmônica do Elba, o prefeito já tomou, pessoalmente, as primeiras medidas.

Mas, agora, parece não haver mais volta, pois Hamburgo já divulgou que pretende, com a Filarmônica do Elba, criar um marco na arquitetura mundial. Seria muito triste para a cidade se o projeto ficasse conhecido por ter se tornado uma ruína. Nessas alturas, não há mais escolha: a Filarmônica do Elba tem que ficar pronta, custe o que custar.

Leia mais