Companhias aéreas que voam para o Brasil em meio à pandemia | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 21.07.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Companhias aéreas que voam para o Brasil em meio à pandemia

Maioria das aéreas cortou rotas internacionais para o Brasil devido ao coronavírus e fechamento de fronteiras. Veja as empresas que têm voos programados.

Várias companhias aéreas cortaram voos internacionais para o Brasil devido à pandemia de coronavírus e às restrições de viagens impostas por diversos países. Porém, boa parte das empresas opera atualmente ligações de cidades no exterior principalmente para São Paulo e Rio de Janeiro.

As rotas internacionais ainda em atividade estão sendo usadas por brasileiros que estão no exterior para voltar ao Brasil. O Itamaraty informou em nota que está buscando todas as opções para repatriar os nacionais residentes no Brasil que encontraram problemas com seus voos de retorno ao país.

O Ministério das Relações Exteriores informa ainda que, caso seja possível o retorno ao Brasil por voo comercial, "essa opção deve ser sempre considerada tendo em vista que outras opções de repatriação podem ser inviáveis ou demoradas em alguns lugares".

"A opção de voos fretados está sendo considerada para regiões em que se verificou total interrupção do tráfego aéreo e outras possibilidades de repatriação não são viáveis", diz a nota enviada à DW Brasil. "São voos pagos pelo governo brasileiro e que dependem de negociação específica com governos estrangeiros, não apenas na origem do voo, mas, em diversas ocasiões, com eventuais escalas."

Veja abaixo a situação das principais empresas aéreas que operam no Brasil. O texto será atualizado constantemente com as mudanças que ocorrerem nas malhas das companhias:

Azul:

A empresa brasileira opera voos diretos do aeroporto de Viracopos, em Campinas/SP, para Fort Lauderdale e Lisboa.

Em relação aos voos para Lisboa, o governo português levantou nesta sexta-feira (16/04) a suspensão de voos com o Brasil que vigorava desde o final de janeiro, porém, apenas para viagens essenciais. A proibição da entrada de turistas brasileiros em Portugal continua em vigor.

Mesmo com a liberação dos voos regulares e comerciais, as restrições de acesso de não europeus ou não residentes continuam ativas. Com isso, apenas cidadãos portugueses, a União Europeia ou que tenham residência fixa no país estão aptos para viajar neste momento.

Os passageiros que voarem do Brasil para Portugal em voos diretos ou com escala em outros países devem apresentar teste de covid-19 negativo realizado 72 horas antes do embarque e têm que ficar em quarentena por duas semanas depois da chegada em solo português.

[Última atualização em 27 de maio]

GOL:

A companhia aérea brasileira pretende retomar seus voos internacionais no segundo semestre de 2021.   

[Última atualização em 27 de maio]

Latam:

A empresa aérea brasileira opera de forma reduzida as rotas de São Paulo para Santiago, Madri, Frankfurt, Lisboa, Assunção, Montevidéu, Cidade do México, Miami, Nova York, Cancún, Paris e Bogotá.

De acordo com o sistema de reservas, a Latam retomará os voos de Guarulhos para Londres e Lima a partir de 1º de agosto. 

Devido aos protocolos do governo da Argentina para mitigar a propagação do coronavírus, os voos regulares entre os dois países estão temporariamente suspensos.  

A Latam ainda não retomou as operações do Brasil para Orlando, Boston, Barcelona, Milão, Tel Aviv, Joanesburgo, Córdoba, Mendoza, Bariloche, Santa Cruz de la Sierra, Ilhas Malvinas e Punta del Este.

Veja mais detalhes abaixo sobre as suspensões e determinações de governos:

* Voos para Lisboa: o governo português levantou nesta sexta-feira (16/04) a suspensão de voos com o Brasil que vigorava desde o final de janeiro, porém, apenas para viagens essenciais. A proibição da entrada de turistas brasileiros em Portugal continua em vigor.

As viagens essenciais são as destinadas a permitir o trânsito ou a entrada de cidadãos por motivos profissionais, de estudo, de reunião familiar, por razões de saúde ou humanitárias.

Os passageiros que voarem do Brasil para Portugal em voos diretos ou com escala em outros países devem apresentar teste de covid-19 negativo realizado 72 horas antes do embarque e têm que ficar em quarentena por duas semanas depois da chegada em solo português.

* Voos para Frankfurt: o governo alemão decidiu na sexta-feira (29/01) pela proibição da entrada no país de viajantes vindos do Brasil e de outros países com forte presença de variantes mais transmissíveis do novo coronavírus. A proibição entrou em vigor a partir do sábado (30/01) e continua vigente. A medida prevê exceções para cidadãos alemães, membros do núcleo da família de alemães que viajam com eles (o núcleo da família inclui cônjuges, parceiros registrados, filhos menores e pais de filhos menores), pessoas com residência e direito de residência na Alemanha, bem como passageiros em trânsito (sem entrada na Alemanha) e para os transportes de carga e de caráter humanitário. 

* Voos para Madri: o governo espanhol anunciou que passageiros de voos provenientes de vários países, como Brasil e África do Sul, terão que se submeter a uma quarentena em casa ou acomodação por dez dias logo depois de desembarcarem no país. O período de isolamento poderá ser reduzido, no entanto, após apresentação de exame negativo de covid-19 realizado no sétimo dia de quarentena. Os voos diretos do Brasil para a Espanha só podem transportar passageiros que sejam cidadãos e residentes espanhóis e andorranos ou por viajantes em trânsito internacional com uma escala inferior a 24 horas, sem a possibilidade de sair do aeroporto. 

* Voos para Londres: o Reino Unido institituiu regras mais duras para quem chega de países como o Brasil. O passageiro não pode viajar para o Reino Unido se esteve em um país da lista vermelha (a exemplo do Brasil) nos últimos dez dias, a menos que seja um cidadão britânico, um cidadão irlandês ou uma pessoa com direitos de residência no Reino Unido. Os passageiros deverão fazer um teste de covid antes do embarque e pagar para ficar em quarentena durante dez dias em um dos hotéis autorizados pelo governo britânico e, ainda, fazer mais dois testes de covid. 

[Última atualização em 12 de julho]

Aerolíneas Argentinas:

O governo da Argentina prorrogou até 9 de julho a suspensão dos voos comerciais regulares para o Brasil e outros países como Reino Unido, Turquia e Chile.

Assim, a empresa argentina suspendeu suas operações regulares para o Brasil, devido à fraca demanda por causa da pandemia e aos protocolos do governo da Argentina para mitigar a propagação do coronavírus. Os voos para São Paulo são limitados a fretados e especiais para repatriamento; já a rota para o Rio de Janeiro foi completamente suspensa. 

[Última atualização em 29 de junho]

Aeromexico:

A empresa mexicana opera voos regulares entre Cidade do México e São Paulo. 

[Última atualização em 27 de maio]

Air Canada:

A companhia canadense deverá retomar os voos entre Guarulhos e Toronto a partir de 2 de setembro.   

[Última atualização em 21 de julho]

Air China:

A companhia chinesa, que faz a rota São Paulo-Madri-Pequim, suspendeu suas operações nesta rota. 

Porém, a Air China solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) voos na rota a partir de 31 de outubro.

[Última atualização em 9 de junho]

Air Europa:

A companhia espanhola opera voos de Madri para São Paulo.

Quanto ao trajeto para Madri, o governo espanhol anunciou que passageiros de voos provenientes de vários países, como Brasil e África do Sul, terão que se submeter a uma quarentena em casa ou acomodação por dez dias logo depois de desembarcarem no país. O período de isolamento poderá ser reduzido, no entanto, após apresentação de exame negativo de covid-19 realizado no sétimo dia de quarentena. Os voos diretos do Brasil para a Espanha só podem transportar passageiros que sejam cidadãos e residentes espanhóis e andorranos ou por viajantes em trânsito internacional com uma escala inferior a 24 horas, sem a possibilidade de sair do aeroporto.  

O sistema de reservas da empresa não indica ainda informações sobre a retomada dos voos da capital espanhola para Fortaleza e Recife.

[Última atualização em 21 de julho]

Air France:

A empresa francesa realiza a rota de Paris para São Paulo e Rio de Janeiro. 

De acordo com informações no site da Embaixada da França no Brasil, os viajantes devem comprovar que o motivo da viagem à França corresponde a um dos motivos abaixo:

* Franceses, seus cônjuges e filhos;

* Nacionais da União Europeia, Liechtenstein, Islândia, Noruega e Suíça que tenham residência principal na França, bem como seus cônjuges;

* Nacionais de países terceiros, incluindo o Brasil, que disponham de autorização de residência (titre de séjour), ou visto de longa duração francês ou europeu válido, e tenham sua residência principal na França (válido somente para saídas do território europeu que tenham sido realizadas antes de 31 de janeiro de 2021 ou que tenham sido justificadas por motivo imperioso);

* Estrangeiros de países terceiros titulares de visto de longa duração para reunião familiar (visto "regroupement familial"), inclusive de refugiados, beneficiários de proteção subsidiária e apátridas (visto  "réunification familiale");

* Funcionários dos setores de transporte terrestre, aéreo e marítimo ou prestadores de serviço de transporte de mercadorias, incluindo motoristas de qualquer veículo de transporte de mercadorias destinadas ao uso no território, bem como aqueles que estejam apenas em trânsito ou viajando na condição de passageiro para chegarem a sua base de partida ou completarem sua formação profissional;

* Funcionários estrangeiros que estejam exercendo suas funções junto a uma missão diplomática ou consular, ou em uma organização internacional com sede ou escritório na França, bem como seus cônjuges e filhos; e

* Pessoas em trânsito em zona internacional por tempo inferior a 24h.

Os viajantes provenientes do Brasil que quiserem retornar a França e estiverem habilitados a ingressar no território deverão apresentar:

* Para os viajantes com mais de onze anos, teste RT-PCR de covid com resultado negativo e realizado menos de 36 horas antes do embarque (relativo ao primeiro voo para viagens com conexão) ou teste RT-PCR para Covid com resultado negativo e realizado menos de 72 horas antes do embarque, acompanhado de teste antigênico com resultado negativo para Covid e realizado menos de 24 horas antes do embarque.

* Um Certificado de Viagem Internacional, no qual o viajante se compromete a fazer um isolamento de 10 dias ao chegar na França (o download desse documento está disponível no site do Ministério do Interior);

* Um comprovante de residência ou de reserva de acomodação apropriada para a realização de quarentena ou isolamento (hotel ou similar), que permita às autoridades encontrar o local em questão para a verificação do cumprimento das medidas em vigor - estão dispensados dessa obrigação os viajantes que realizarão o isolamento em local previsto pela administração (unidades territoriais de apoio destinadas a um melhor acompanhamento de pessoas em isolamento) ou que estarão apenas em trânsito em zona internacional;

* Uma declaração solene na qual o viajante assegura:

- Não apresentar sintomas de infecção pela Covid-19;

- Não ter conhecimento de ter tido contato com pessoas que testaram positivo para a Covid-19 nos 14 dias anteriores à viagem;

- Para os viajantes com mais de onze anos, autorizar a realização de um teste ou exame biológico de detecção do SARS-CoV-2 no momento de sua chegada ao território nacional.

Todas as pessoas provenientes do Brasil que estiverem habilitadas a ingressar no território francês e quiserem retornar à França deverão se comprometer a fazer um isolamento de 10 dias ao chegarem. Antes de embarcar, o viajante deverá providenciar um comprovante de residência ou de reserva de acomodação apropriada para a realização de quarentena ou isolamento (hotel ou similar), que permita às autoridades encontrar o local em questão para a verificação do cumprimento das medidas em vigor - estão dispensados dessa obrigação os viajantes que realizarão o isolamento em local previsto pela administração (unidades territoriais de apoio destinadas a um melhor acompanhamento de pessoas em isolamento).

[Última atualização em 27 de maio]

Alitalia:

A Itália suspendeu a partir de 16 de janeiro os voos que partem do Brasil e proibiu a entrada de passageiros que tenham passado pelo país nos últimos 14 dias, devido a preocupações com uma nova variante do coronavírus originária do Amazonas. Quem chegar à Itália do Brasil por meio de conexão em outros países será obrigado a fazer um teste para detectar o vírus.

O sistema de reservas da Alitalia indica a retomada dos voos de Roma para São Paulo a partir de 1º de setembro.

[Última atualização em 8 de julho]

Amaszonas:

A empresa aérea boliviana retomou a rota entre Santa Cruz de la Sierra e São Paulo, porém, anunciou em 24 de fevereiro que não operará mais o trajeto entre 1º de março e 31 de agosto. A companhia pretende retomar mais uma vez os voos a partir de 1º de setembro.

No sistema de reservas da companhia não é indicada a retomada dos trajetos de Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu para Santa Cruz de la Sierra.

[Última atualização em 9 de junho]

American Airlines:

A companhia americana opera de São Paulo para Miami, Dallas e Nova York; e de Miami para Rio de Janeiro. 

A empresa suspendeu o trajeto entre Manaus e Miami pelo menos até 2 de novembro.

A companhia decidiu encerrar definitivamente suas operações entre Los Angeles e São Paulo; de Nova York para Rio de Janeiro; e de Miami para Brasília. 

[Última atualização em 27 de maio] 

Avianca:

A empresa aérea colombiana opera a rota entre Bogotá e São Paulo.

Ela pretende retomar os voos da capital colombiana para o Rio de Janeiro a partir de 1º de setembro.

[Última atualização em 8 de julho]

Avior:

A empresa venezuelana ainda não retomou a operação entre Caracas e Manaus. 

[Última atualização em 9 de junho]

Boliviana de Aviación (BoA):

A empresa boliviana opera voos de São Paulo para Santa Cruz de la Sierra.

O sistema de reservas não indica ainda a retomada do trajeto entre São Paulo e La Paz. 

[Última atualização em 27 de maio]

British Airways:

A companhia suspendeu os trajetos de Londres para São Paulo e Rio de Janeiro, após o governo do Reino Unido identificar no final de dezembro uma segunda mutação do coronavírus com maior risco de contágio em território britânico. 

Porém, a empresa britânica pretende retomar os voos diretos de Londres para São Paulo a partir de 30 de agosto; para o Rio de Janeiro, a partir de 4 de setembro. 

Voos para Londres: o Reino Unido institituiu regras mais duras para quem chega de países como o Brasil. O passageiro não pode viajar para o Reino Unido se esteve em um país da lista vermelha (a exemplo do Brasil) nos últimos dez dias, a menos que seja um cidadão britânico, um cidadão irlandês ou uma pessoa com direitos de residência no Reino Unido. Os passageiros deverão fazer um teste de covid antes do embarque e pagar para ficar em quarentena durante dez dias em um dos hotéis autorizados pelo governo britânico e, ainda, fazer mais dois testes de covid. 

[Última atualização em 21 de julho]

Cabo Verde Airlines:

A empresa aérea do país africano pretendia retomar suas operações a partir de 18 de junho, porém, um litígio com a operadora aeroportuária estatal e o controle de tráfego aéreo não tornou possível o reinício.   

A companhia operava no Brasil voos da Ilha do Sal para Fortaleza, Recife e Porto Alegre.

[Última atualização em 23 de junho]

Copa Airlines:

A empresa panamenha retomou suas operações da Cidade do Panamá para São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Porto Alegre. 

A empresa deve voltar a operar seus voos da capital panamenha para Recife, Manaus e Salvador no segundo semestre de 2021.

[Última atualização em 21 de julho]

Delta Airlines:

A empresa americana opera de São Paulo para Atlanta e Nova York.

Não há previsão ainda para a retomada dos voos diretos entre Rio de Janeiro e Atlanta.

[Última atualização em 27 de maio]

Eastern:

A empresa aérea americana adiou a estreia no mercado brasileiro e iniciará em setembro suas operações de Belo Horizonte para Miami e Nova York a partir de setembro; e para Boston a partir de novembro. 

[Última atualização em 29 de junho]

Edelweiss:

A empresa aérea suíça ainda não retomou seus voos entre Zurique e Rio de Janeiro. 

[Última atualização em 27 de maio]

Emirates:

A companhia aérea opera entre Dubai e São Paulo. 

Não há previsão da retomada dos voos entre Dubai e Rio de Janeiro.

[Última atualização em 23 de junho]

Ethiopian Airlines:

A companhia nacional da Etiópia opera a rota entre São Paulo e Adis Abeba. 

[Última atualização em 27 de maio]

FlyBondi:

A companhia aérea de baixo custo da Argentina pretende retomar seus voos de Buenos Aires (aeroporto internacional de Ezeiza) para São Paulo e Rio de Janeiro serão retomados a partir de 3 de outubro.

[Última atualização em 8 de julho]

Iberia:

A companhia espanhola opera voos diretos de Madri para São Paulo e Rio de Janeiro.   

Quanto aos trajetos para Madri, o governo espanhol anunciou que passageiros de voos provenientes de vários países, como Brasil e África do Sul, terão que se submeter a uma quarentena em casa ou acomodação por dez dias logo depois de desembarcarem no país. O período de isolamento poderá ser reduzido, no entanto, após apresentação de exame negativo de covid-19 realizado no sétimo dia de quarentena. Os voos diretos do Brasil para a Espanha só podem transportar passageiros que sejam cidadãos e residentes espanhóis e andorranos ou por viajantes em trânsito internacional com uma escala inferior a 24 horas, sem a possibilidade de sair do aeroporto.  

[Última atualização em 27 de maio]

JetSmart:

A empresa de baixo custo chilena retomará seus voos de Santiago para Foz do Iguaçu a partir de 2 de setembro.  

Não há previsão ainda para a retomada do trajeto da capital chilena para São Paulo e Salvador.

[Última atualização em 27 de maio]

KLM:

A empresa holandesa opera os trajetos de Amsterdã para São Paulo e Rio de Janeiro.

A Holanda flexibilizou as exigências de testes de covid-19 para a entrada e conexão no país: a partir de 16 de março, um teste rápido adicional não é mais necessário para passageiros em transferência. A nova política do governo holandês é a seguinte:

* Passageiros que fizerem conexão na Holanda e continuarem a viajar de avião precisam apresentar somente um resultado negativo do teste PCR emitido 72 horas da chegada em Amsterdã;

* Todos os clientes maiores de 13 anos que viajam de países de alto risco, incluindo o Brasil, devem apresentar: resultado de teste PCR negativo emitido dentro de 24 horas antes do embarque (em vez de 12 horas) ou devem apresentar um resultado de teste rápido negativo emitido dentro de 24 horas antes do embarque (em vez de 4 horas) e um resultado de teste PCR negativo emitido dentro de 72 horas antes da chegada em Amsterdã.

Estão permitidos para viajar para a Holanda (como destino final) e como conexão para países da União Europeia:

* Cidadãos holandeses e do Espaço Schengen;

* Residentes da Holanda e do Espaço Schengen;

* Equipes médicas, marítimas e tripulantes de companhias aéreas.

[Última atualização em 27 de maio]

Lufthansa:

A empresa alemã opera a rota entre Frankfurt e São Paulo.

O sistema de reserva da companhia indica a retomada da rota de Frankfurt para o Rio de Janeiro a partir de 2 de setembro.

O governo alemão decidiu na sexta-feira (29/01) pela proibição da entrada no país de viajantes vindos do Brasil e de outros países com forte presença de variantes mais transmissíveis do novo coronavírus. A proibição entrou em vigor a partir do sábado (30/01) e continua vigente. 

A medida prevê exceções para cidadãos alemães, membros do núcleo da família de alemães que viajam com eles (o núcleo da família inclui cônjuges, parceiros registrados, filhos menores e pais de filhos menores), pessoas com residência e direito de residência na Alemanha, bem como passageiros em trânsito (sem entrada na Alemanha) e para os transportes de carga e de caráter humanitário. 

O sistema de reservas não indica ainda a retomada do voo de Munique para São Paulo.

[Última atualização em 21 de julho]

Norwegian:

O site da companhia low cost, que operava o trajeto entre Londres e Rio de Janeiro, mostrava voos disponíveis a partir de 26 de outubro (três vezes por semana). Porém, a empresa decidiu fazer uma reestruturação e, para reequilibrar seu caixa, os voos transatlânticos da empresa deverão ser cancelados. Ela quer focar somente nas rotas de curta distância.

[Última atualização em 27 de maio]

Qatar Airways:

A empresa do Catar opera voos diários entre São Paulo e Doha. 

[Última atualização em 3 de junho]

Royal Air Maroc:

A companhia marroquina ainda não retomou seus voos de Casablanca para São Paulo e Rio de Janeiro.  

[Última atualização em 27 de maio]

Sky:

A empresa de baixo custo chilena opera voos de Santiago para São Paulo. Ela retomará o trajeto para o Rio de Janeiro a partir de 31 de julho.

O sistema de reservas não indica ainda a retomada da rota da capital chilena para Salvador e Florianópolis.

[Última atualização em 8 de julho]

South African Airways (SAA):

Antes do início da pandemia de coronavírus, a empresa sul-africana já havia anunciado o cancelamento de sua rota entre São Paulo e Johanesburgo.

[Última atualização em 25 de maio]

Surinam Airways:

A empresa aérea do Suriname ainda não retomou seus voos entre Panamaribo e Belém.  

[Última atualização em 9 de junho]

Swiss:

A empresa suíça opera a rota entre Zurique e São Paulo. 

[Última atualização em 27 de maio]

TAAG – Linhas Aéreas de Angola:

A companhia angolana retomou seus voos entre Luanda e São Paulo. 

[Última atualização em 4 de junho]

TAP:

O governo português levantou nesta sexta-feira (16/04) a suspensão de voos com o Brasil que vigorava desde o final de janeiro, porém, apenas para viagens essenciais. A proibição da entrada de turistas brasileiros em Portugal continua em vigor.

As viagens essenciais são as destinadas a permitir o trânsito ou a entrada de cidadãos por motivos profissionais, de estudo, de reunião familiar, por razões de saúde ou humanitárias.

A TAP opera voos de Lisboa para São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza, Belo Horizonte, Brasília e Salvador; além do Porto para o Rio de Janeiro.

A partir de agosto, a empresa portuguesa deverá retomar as seguintes rotas para o Brasil: Lisboa para Porto Alegre e Belém; e do Porto para São Paulo.

Os passageiros que voarem do Brasil para Portugal em voos diretos ou com escala em outros países devem apresentar teste de covid-19 negativo realizado 72 horas antes do embarque e têm que ficar em quarentena por duas semanas depois da chegada em solo português.

[Última atualização em 8 de julho]

Turkish Airlines:

O governo da Turquia anunciou em 28 de junho que todos os passageiros provenientes do Brasil não podem mais ter a Turquia como destino final.

Porém, a Turkish Airlines continua fazendo a rota entre São Paulo e Istambul, pois os passageiros do Brasil estão liberados para fazer conexões no aeroporto de Istambul para outros destinos da malha da empresa aérea, desde que permaneçam na área de trânsito internacional.

[Última atualização em 29 de junho]

United:

A companhia americana opera voos de São Paulo para Houston, Nova York (Newark) e Chicago.

A United suspendeu temporariamente a operação entre Houston e Rio de Janeiro a partir de 5 de junho. 

O sistema de reservas não indica ainda a retomada do trajeto de São Paulo para Washington.

[Última atualização em 27 de maio]

Virgin Airways:

A empresa aérea britânica, que havia adiado o lançamento da rota entre Londres e São Paulo de 29 de março para 5 de outubro, decidiu não iniciar o trajeto entre a capital inglesa e o aeroporto internacional de Guarulhos.

[Última atualização em 27 de maio]

Leia mais