Comitiva de Bolsonaro a Miami tem 18 infectados por covid-19 | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 18.03.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

Comitiva de Bolsonaro a Miami tem 18 infectados por covid-19

Ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Bento Albuquerque (Minas e Energia) também estão infectados. Ambos estiveram na comitiva presidencial que viajou à Flórida para encontro com Trump.

Augusto Heleno anunciou que está com o novo coronavírus

Augusto Heleno anunciou que está com o novo coronavírus

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, afirmou nesta quarta-feira (18/03) ter sido diagnosticado com o coronavírus Sars-Cov-2. O ministro, de 72 anos, fez parte da comitiva presidencial que viajou no início de março aos Estados Unidos, onde o presidente Jair Bolsonaro se encontrou com seu homólogo americano, Donald Trump.

Heleno, que é general da reserva, foi o 17º integrante da comitiva a ser confirmado com a covid-19, segundo levantamento da Folha de S. Paulo. Ele faz parte do grupo de risco devido à idade.

Horas depois, o próprio Bolsonaro anunciou que outro ministro, o de Minas e Energia, Bento Albuquerque, também está infectado pelo vírus, elevando o total para 18, pois também Albuquerque esteve na comitiva que foi à Miami. O primeiro exame dele, assim como o de Heleno, dera negativo.

Entre os infectados estão o deputado Daniel Freitas (PSL-SC), o presidente da Federação de Indústrias de Minas Gerais, Flávio Roscoe, Robson Braga de Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria e o secretário especial de Comércio Exterior, Marcos Troyjo. Também o prefeito de Miami, Francis Suarez, um dos anfitriões de Bolsonaro nos EUA, teve resultado positivo para o coronavírus.

A confirmação de que pessoas que viajaram com Bolsonaro estão infectadas provocou a dispensa de  diversos funcionários do Palácio do Planalto na sexta-feira passada.

Augusto Heleno é um dos ministros mais próximos do presidente e, por causa de sua idade, faz parte do grupo de risco para a doença. Ele esteve ontem com Bolsonaro e apesar de uma quarentena inicial, voltou a frequentar o Palácio do Planalto e o Alvorada após o resultado do primeiro exame.

O ministro fez um primeiro teste, que deu negativo, e realizou um segundo exame na terça-feira. "Informo que o resultado do meu segundo exame, realizado no HFA, acusou positivo. Aguardo a contraprova da FioCruz. Estou sem febre e não apresento qualquer dos sintomas relacionados ao COVID-19. Estou isolado, em casa, e não atenderei telefonemas!”, anunciou em sua conta no Twitter.

Heleno, outros ministros e o presidente Jair Bolsonaro fizeram dois testes para detectar se contraíram o novo coronavírus após ser confirmado na quinta-feira passada que o secretário de Comunicação do governo, Fábio Wajngarten, está com a doença. Wajngarten integrou a comitiva na viagem presidencial aos EUA.

Bolsonaro afirmou que seus testes deram resultado negativo. Entretanto, o Ministério da Saúde recomendou que o exame seja refeito na próxima semana. No domingo passado, Bolsonaro desrespeitou a recomendação por cautela e participou do ato de domingo a favor do governo e contra o Congresso e o STF, interagindo intensamente com simpatizantes.

"Não tem preço o que esse povo está fazendo. Apesar de eu ter sugerido [o adiamento por causa do coronavírus], não posso mandar, a manifestação não é minha", disse o presidente durante uma transmissão ao vivo pelo Facebook.

MD/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais