Chuva eleva temor de contaminação em Tianjin | Notícias internacionais e análises | DW | 18.08.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Chuva eleva temor de contaminação em Tianjin

Águas podem espalhar substâncias tóxicas a partir da região do porto ou até mesmo provocar novas explosões. Número de mortos é de 114, com 57 desaparecidos.

A chuva atrapalhou nesta terça-feira (18/08) os esforços de limpeza no porto de Tianjin, na China, depois das explosões que aconteceram semana passada num depósito no local.

O acidente expôs a população da cidade a substâncias químicas perigosas, e algumas podem até mesmo entrar em combustão quando em contato com a água.

O depósito tinha cerca de 700 toneladas de cianeto de sódio, uma substância altamente tóxica. A quantidade viola as normas de segurança do país, que determinam que o local não poderia abrigar mais do que 10 toneladas do produto.

Por causa do acidente, o responsável chinês por segurança no trabalho, Yang Dongliang, está agora sendo investigado por "severas violações da disciplina e da lei", um eufemismo para corrupção.

Especialistas temem que a chuva possa espalhar os produtos químicos pelo local e estão interditando ao acesso público uma área de três quilômetros de raio.

"Nós estamos prestando muita atenção nas previsões de chuva para os próximos dias", afirmou Bao Jingling, engenheiro-chefe do escritório de proteção do meio ambiente de Tianjin, à agência de notícias AFP.

Quando a água da chuva evaporar, o vapor pode carregar consigo uma grande quantidade de substâncias perigosas, elevando o risco de novas reações químicas e de mais explosões.

China Regen nach der Explosion in Tianjin

Técnicos cobrem detector com capa protetora

Risco de contaminação

Cianeto de sódio é uma substância tóxica, que se apresenta como um cristal branco ou um pó e tem uma ampla variedade de usos industriais, incluindo a mineração de ouro. Ele pode formar cianeto de hidrogênio, um gás usado na execução de condenados à pena de morte nos Estados Unidos.

Conforme a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, uma elevada exposição a baixas concentrações pode causar náusea e irritações na pele e nos olhos. A exposição a altas concentrações pode afetar o sistema nervoso central e o sistema cardiovascular.

Apesar de os dirigentes terem declarado a água e o ar em Tianjin "seguros", moradores se mostram céticos. Um taxista disse à AFP ter medo de que a água da chuva esteja contaminada.

Oito de 40 pontos de teste de água na região interditada mostraram níveis elevados de cianeto de sódio na segunda-feira. A maior amostra excedeu 28,4 vezes o padrão oficial, disse Bao. A substância venenosa foi encontrada em mais de 21 pontos.

O engenheiro anunciou que a agência vai monitorar o ar em 18 pontos de teste. Ele enfatizou que a população será imediatamente avisada se níveis excessivos de cianeto de sódio forem encontrados.

O subchefe nacional dos bombeiros, Niu Hueguang, disse que mais de 40 substâncias químicas tóxicas estavam sendo armazenadas no depósito, chegando a um volume de 3 mil toneladas. As informações foram publicadas no site dos bombeiros chineses.

O número incluía 800 toneladas de nitrato de amônia, que também pode ser usado em explosivos, e cerca de 500 toneladas de nitrato de potássio, usado em combustíveis para foguetes e fogos de artifício.

China Tianjin Trauer Zeremonie

Cerimônia em homenagem aos bombeiros mortos

Homenagem às vítimas

A chuva caía no momento em que aconteciam cerimônias em homenagem as vítimas das explosões em Tianjin. Nesta terça, o número oficial de mortos era de 114, e 57 pessoas continuavam desaparecidas. Havia 31 corpos não identificados.

Flores brancas foram espalhadas pela cidade – a cor do luto na China. O sétimo dia, contando com o dia do acidente, é o primeiro dia de luto no ciclo de 49 dias do país.

Os bombeiros foram duramente atingidos pela tragédia, com 50 mortos confirmados e outros 52 desaparecidos. É o acidente com a maior perda de socorristas na história da China. Cerca de mil trabalharam para conter os efeitos das explosões em Tianjin.

"Vários bombeiros enfrentaram a explosão e acabaram se sacrificando", disse Fan JIe, uma das pessoas que acendia velas para os bombeiros mortos. "Nós estamos aqui para eles, para agradecer a eles e lamentar a sua morte."

O desastre de Tianjin está entre os acidentes industriais que causou mais mortes na história recente da China.

MP/dw/ap/afp/rtr

Leia mais