Christian Wulff deverá ser presidente da Alemanha | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 03.06.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Christian Wulff deverá ser presidente da Alemanha

Após a renúncia de Horst Köhler, o político democrata-cristão conhecido por seu tom conciliador foi indicado pela coalizão de governo à presidência da Alemanha.

default

Se eleito, Christian Wulff será um dos raros católicos a assumir o posto

O democrata-cristão Christian Wulff, governador da Baixa Saxônia, deverá ser o novo presidente alemão, após a renúncia de Horst Köhler. Os presidentes dos três partidos da coalizão de governo – premiê Angela Merkel, da União Democrata Cristã (CDU), Horst Seehofer, da União Social Cristã (CSU) e Guido Westerwelle, do Partido Liberal (FDP) – chegaram a esse consenso nesta quinta-feira (03/06).

Como a coalizão detém maioria na Assembleia Federal, que escolherá o novo presidente alemão no dia 30 de junho, a eleição de Wulff como sucessor de Horst Köhler estaria praticamente assegurada.

O político de 51 anos é conhecido na Alemanha por seu tom conciliador. Foi com um discurso moderado que ele foi reeleito governador da Baixa Saxônia, em 2008, após ter assumido pela primeira vez o governo estadual em 2003. Vice-presidente da União Democrata Cristã, ele é considerado dentro do partido o único correligionário que poderia concorrer com a chanceler federal Angela Merkel.

Há dois anos, Wulff surpreendeu políticos e a opinião pública ao se considerar inadequado para o posto de chefe de governo, alegando não possuir para tal "a sede irrestrita de poder e a disposição de submeter tudo a essa única meta".

Se eleito pela Assembleia Nacional, Christian Wulff seria – após Heinrich Lübke, presidente alemão de 1959 a 1969 – o segundo católico a se tornar chefe de Estado do país desde 1949 e o mais jovem presidente da Alemanha.

Joachim Gauck

Joachim Gauck (70)

As bancadas da oposição social-democrata e verde, por sua vez, nomearam o teólogo Joachim Gauck como candidato comum ao posto de presidente da República. Gauck foi o primeiro a ser encarregado pelo governo federal da investigação dos arquivos do serviço secreto da Alemanha Oriental.

SL/dpa/apn

Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais