China fechará empresas norte-coreanas | Notícias internacionais e análises | DW | 28.09.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ásia

China fechará empresas norte-coreanas

Governo anuncia que vai fechar até janeiro empresas do país vizinho, inclusive de capital misto. Decisão põe em prática novas sanções aprovadas pelo Conselho de Segurança.

Empresas de capital misto também serão fechadas

Empresas de capital misto também serão fechadas

A China anunciou nesta quinta-feira (28/09) que fechará até janeiro as empresas norte-coreanas com presença no país. A medida afetará também companhias mistas, de capital chinês e norte-coreano, e faz parte do pacote de sanções aprovado em meados de setembro pelo Conselho de Segurança da ONU.

Leia mais: Um difícil alvo das sanções à Coreia do Norte

De acordo com o Ministério do Comércio, a decisão visa pressionar a Coreia do Norte para que encerre seu programa de armas nucleares e mísseis. Entidades sem fins lucrativos e projetos de infraestrutura que não gerem lucro não serão afetados pela medida.

Assistir ao vídeo 01:25

Coreia do Norte mobiliza multidão em evento contra Estados Unidos

Além das empresas em solo chinês, também serão fechadas aquelas com capital chinês e norte-coreano estabelecidas no exterior, precisou o comunicado do ministério.

Essa decisão de Pequim surge no âmbito do conjunto de sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU em 12 de setembro, em resposta ao recente teste nuclear conduzido pela Coreia do Norte.

Na semana passada, Pequim anunciou restrições ao fornecimento de petróleo à Coreia do Norte, além de impor uma proibição geral das importações de têxteis norte-coreanos. A China é o principal parceiro comercial de Pyongyang, destino de mais de 90% das exportações norte-coreanas, e, tradicionalmente, o seu principal apoio político.

Apesar de ter aprovado sanções contra a Coreia do Norte, Pequim mantém, porém, o discurso sobre a necessidade de prosseguir com o diálogo para diminuir as tensões na região e insiste que o uso da força militar não deve ser uma opção.

Desde que o regime de Pyongyang realizou o seu primeiro teste nuclear, em 2006, a ONU já impôs à Coreia do Norte oito rodadas de sanções, que foram ficando cada vez mais duras.

CN/lusa/efe/afp

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados