Checkpoint Berlim: Assalto a museu da polícia de Berlim | Colunas semanais da DW Brasil | DW | 25.09.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Colunas

Checkpoint Berlim: Assalto a museu da polícia de Berlim

Parece até fake news, mas realmente aconteceu na capital alemã: depois de tentar abafar o caso, polícia berlinense confirma roubo em suas instalações e faz piada com a situação.

Central da polícia em Berlim

Prédio arrombado fica no bairro Tempelhof

"Casa de ferreiro, espeto de pau." O famoso ditado popular parece se encaixar bem num caso recente envolvendo a polícia berlinense. Sempre prontos a dar dicas aos moradores da capital de como evitar arrombamentos em residências e estabelecimentos comerciais, policiais da capital alemã esqueceram de aplicá-las às próprias instalações.

Durante o final de semana dos dias 16 e 17 de setembro, o museu que fica no prédio que abriga uma central da polícia, localizado no bairro Tempelhof, foi arrombado. Entre as peças levados estão objetos policiais históricos e antiguidades militares, como ordens e medalhas. Nenhuma das poucas armas expostas no local foi roubada.

O furto só foi percebido na manhã da segunda-feira, mas como a situação era constrangedora, a polícia inicialmente tentou abafar o caso. A tentativa, porém, foi em vão. Alguém que queria ver o circo pegar fogo acabou dando com a língua nos dentes, e, na última terça-feira, a imprensa local descobriu o ocorrido. E é claro que o fato virou notícia.

Clarissa Neher

A jornalista Clarissa Neher vive em Berlim desde 2008

Depois disso, só restou à polícia confirmar o roubo, mas não sem perder o jogo de cintura e aproveitar a oportunidade para rir de si mesma nas redes sociais. "Dormimos no ponto", dizia a mensagem publicada no Twitter.

Apesar da piada, as autoridades reconheceram que o caso é sério. "Claro que é desagradável quando justamente a polícia é assaltada", afirmou à imprensa o porta-voz da polícia.

Os assaltantes teriam entrado no museu por uma janela, ao redor da qual há uma cerca devido a obras no prédio. A proteção evitou que a ação chamasse a atenção de quem passava pela avenida que fica em frente ao edifício. A discrição foi tanta que nem a equipe da empresa privada que é responsável pela segurança do prédio percebeu o arrombamento.

A polícia evitou dar detalhes sobre o caso. O roubo está sendo investigado, mas até agora nenhum sinal dos arrombadores ou das peças levadas.

Clarissa Neher é jornalista freelancer na DW Brasil e mora desde 2008 na capital alemã. Na coluna Checkpoint Berlim, publicada às segundas-feiras, escreve sobre a cidade que já não é mais tão pobre, mas continua sexy.

Leia mais