Centenas invadem enclave espanhol na África | Notícias internacionais e análises | DW | 26.07.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Centenas invadem enclave espanhol na África

Mais de 600 migrantes transpõem cerca de seis metros de altura em Ceuta, atacando policiais com lança-chamas improvisados e excrementos. Ação surpreendeu forças de segurança e foi a maior do tipo no território em meses.

Jovens migrantes escalam cerca de arame farpado em Ceuta

Centenas de jovens migrantes escalaram cerca de arame farpado em Ceuta

Mais de 600 migrantes africanos conseguiram entrar no território espanhol de Ceuta nesta quinta-feira (26/07) depois de terem transposto uma cerca dupla na fronteira com o Marrocos, atacando a polícia com lança-chamas improvisados e excrementos.

O assalto registrado na cerca de arame farpado de cerca de seis metros de altura é o maior ocorrido em Ceuta desde fevereiro de 2017, quando mais de 850 imigrantes entraram no território no decorrer de quatro dias.

O incidente coloca ainda mais pressão sobre a Espanha, que superou a Itália como o destino número um para os migrantes que cruzam o Mediterrâneo de barco. Mais de 19.580 pessoas já desembarcaram nas costas espanholas neste ano, segundo a Organização Internacional para Migração.

De acordo com a polícia espanhola, quase 800 migrantes – em maioria, rapazes da África Ocidental – invadiram a barreira dupla no amanhecer da quinta-feira, vindos do Marrocos. A polícia marroquina conseguiu deter parte deles, enquanto 602 conseguiram atravessar para o lado espanhol. Alguns foram detidos pela polícia espanhola entre as duas barreiras ou presos no topo da cerca e retornaram ao Marrocos.

Os migrantes subiram a cerca "de repente", segundo a polícia, atacando os policiais com "garrafas de plástico cheias de excrementos e cal viva, pedras e paus". Eles também utilizaram latas de spray como "lança-chamas" e serras elétricas para cortar a cerca. Policiais ficaram feridos no tumulto, alguns sofrendo queimaduras em seus rostos e braços.

A Cruz Vermelha em Ceuta afirmou no Twitter que 592 migrantes e 22 policiais necessitaram de atendimento médico, muitos teriam cortado mãos e pernas ao escalarem a cerca de arame farpado. Onze migrantes e quatro policiais foram levados para um hospital em Ceuta, segundo a entidade.

A televisão espanhola afirmou que os migrantes teriam surpreendido os policiais ao explorarem um ângulo morto das câmeras de segurança da cerca, que tem 8,4 quilômetros de extensão.

O novo ministro do Interior da Espanha, Fernando Grande-Marlaska, disse no mês passado que pretende "fazer todo o possível" para remover arame farpado de cercas de fronteira que cercam Ceuta e Melilha, outro enclave espanhol situado na fronteira norte do Marrocos.

Ambos os territórios são as únicas fronteiras terrestres da União Europeia com a África, atraindo migrantes que tentam alcançar o bloco.

MD/afp/dpa

____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais