1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Policiais e viatura em frente da embaixada ucraniana em Madri
Policiais espanhóis reforçaram a segurança da embaixada ucraniana em MadriFoto: JUAN MEDINA/REUTERS
SociedadeEspanha

Carta-bomba explode em embaixada da Ucrânia na Espanha

30 de novembro de 2022

Envelope contendo explosivo feriu funcionário da representação diplomática da Ucrânia em Madri. Governo ucraniano reforça segurança em embaixadas no exterior.

https://p.dw.com/p/4KJJb

Um funcionário da embaixada da Ucrânia em Madri, na Espanha, ficou ferido nesta quarta-feira (30/11) após abrir uma carta-bomba endereçada ao chefe da missão diplomática. O funcionário sofreu ferimentos leves e foi para o hospital por conta própria, disse a polícia espanhola em um comunicado.

Após a divulgação do atentado, o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, ordenou que todas as embaixadas ucranianas no exterior reforcem "urgentemente" sua segurança, de acordo com um comunicado do Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia.

O ministro também instou seus colegas espanhóis a "tomar medidas urgentes para investigar o ataque", informou o comunicado, acrescentando que quem está por trás do atentado "não conseguirá intimidar os diplomatas ucranianos ou interromper seu trabalho diário no fortalecimento da Ucrânia e no combate à agressão russa".

Oleh Nikolenko, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia, disse que a embaixada na capital espanhola recebeu o envelope contendo a bomba como parte de uma entrega normal de correspondência. O documento nao havia sido escaneado antes de ser aberto.

"Durante uma verificação, o envelope explodiu nas mãos do funcionário da embaixada”, disse Nikolenko. "O funcionário teve ferimentos leves, foi hospitalizado e está recebendo os cuidados médicos necessários. A vida dele não está em perigo", disse, acrescentando que não há feridos entre os outros funcionários da embaixada.

Detetives estão investigando o atentado, auxiliados por investigadores forenses e de inteligência, disse a polícia espanhola. O Supremo Tribunal da Espanha supervisionará a investigação.

jps/bl (AP, Reuters)