Calor em Portugal e Espanha pode quebrar recorde europeu | NRS-Import | DW | 03.08.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Calor em Portugal e Espanha pode quebrar recorde europeu

Maior temperatura no continente foi registrada em Atenas em 1977, quando termômetros marcaram 48°C. Onda de calor que castiga a Europa pode levar países a ultrapassar marca no fim de semana.

Termômetro em Sevilha: península ibérica pode quebrar recorde europeu registrado na Grécia

Termômetro em Sevilha: península ibérica pode quebrar recorde europeu registrado na Grécia

Em meio à onda de calor que castiga a Europa, meteorologistas apontam que o recorde de maior temperatura já registrada no continente pode ser quebrado nos próximos dias.

O atual recorde europeu foi registrado em 1977, em Atenas, quando os termômetros alcançaram 48°C. Agora, Portugal e Espanha arriscam romper essa marca nos próximos dias.

As previsões apontam que no próximo fim de semana as temperaturas devem ultrapassar 44°C nos dois países, com chances de igualarem ou até mesmo ultrapassarem o recorde de Atenas. A temperatura mais alta já registrada em Portugal foi de 47,7°C em 2003. Em julho do ano passado, a Espanha registrou uma alta de 47,3°C.

A empresa Meteogroup apontou que há uma chance de entre 25% e 30% de regiões nos dois países - como Algarve, em Portugal, e Córdoba e Estremadura, na Espanha - ultrapassarem o recorde grego.

Já o grupo Meteoalarm, que reúne vários serviços de meteorologia da Europa, emitiu alertas sobre os riscos de temperaturas extremas em Portugal e Espanha. O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou 11 distritos do país em alerta vermelho. O instituto apontou que a onda de calor deste ano é comparável à registrada em 2003 no país.

A península ibérica vem sendo especialmente castigada nos últimos dias por causa de uma massa de ar quente proveniente do norte da África. Mas todo o continente europeu vem registrando um verão excepcionalmente quente.

A Itália também emitiu alertas indicando alto risco por causa das temperaturas, que devem chegar a 38 graus em cidades como Roma e Florença.

Na França, o mês de julho foi um dos três mais quentes em quase 120 anos e o país teme a repetição de um verão como o de 2003, quando 15 mil pessoas, a maior parte idosos, morreram.

No Estado alemão da Saxônia-Anhalt, a baixa do nível do rio Elba tem levado ao aparecimento de antigas granadas e bombasperdidas da Segunda Guerra Mundial.

As temperaturas no continente também têm continuado altas durante a noite. As mínimas noturnas em cidades como Nice, na Franca, têm ficado acima de 26°C.

Não é só a Europa que sofre com o calor. Na Coreia do Norte, os termômetros registradas uma alta de 37,9°C na quinta-feira, um novo recorde na capital.

JPS/ots

____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados