Café para viagem, lixo para as cidades | Meio Ambiente | DW | 12.12.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Meio Ambiente

Café para viagem, lixo para as cidades

Alemães consomem cerca de 320 mil copos descartáveis para café por hora, quase 3 bilhões por ano. Enquanto lixeiras transbordam, cidades lançam projetos para tentar tornar novo hábito menos agressivo ao meio ambiente.

Copos descartáveis fazem lata de lixo transbordar

Copos descartáveis são problema crescente no lixo dos centros urbanos alemães

Há séculos, o ato de sentar e tomar um café faz parte cultura europeia. Mas nos últimos anos, o número de bares e lanchonetes oferecendo "coffee to go" (café para viagem) tem disparado, assegurando a dose de cafeína diária àqueles que só conseguem tempo para saborear a bebida a caminho do trabalho.

Só na Alemanha, cerca de 15% do café é consumido dessa forma – em torno de um terço disso em copos descartáveis. Os montes de copos descartáveis transbordando das latas de lixo nos centros urbanos são apenas um pequeno indício das consequências ambientais originadas da conveniência.

Com 70% dos alemães se definindo atualmente como consumidores "particularmente frequentes" ou "ocasionais" de "bebidas para viagem", cerca de 320 mil copos descartáveis de café para viagem são usados ​​em toda a Alemanha a cada hora, o que equivale a quase 3 bilhões por ano.

Assistir ao vídeo 01:02
Ao vivo agora
01:02 min

Alemanha em 1 minuto: Separação do lixo

Um estudo realizado pela empresa de pesquisa de mercado TNS Emnid mostrou que só em Berlim cerca de 460 mil de copos descartáveis de café são consumidos todos os dias – e a linha de produção começa a cobrar seu preço. Emissões de CO2 de cerca de 83 mil toneladas são geradas todos os anos para a produção de copos descartáveis de café para viagem consumidos na Alemanha.

Quase não é usado papel reciclado na produção dos copos descartáveis, significando que cerca de 43 mil árvores têm que ser cortadas anualmente para acompanhar a demanda de copos descartáveis da Alemanha. Em resposta a legislações da UE e da Alemanha, que exigem que os fabricantes assegurem que substâncias tóxicas não vazem em recipientes de alimentos ou de bebidas, as empresas começaram a só usar materiais virgens em embalagens.

Mas o problema não é apenas o copo. Adicione revestimento de polietileno, que impede o copo de encharcar, uma tampa de plástico, a ocasional haste para misturar o açúcar, o papelão adicional para ajudar a pegar o copo muito quente sem queimar as mãos – e o que originalmente era um copo parece querer se assemelhar a um pequeno conjunto para jantar.

Apelo de ambientalistas

Confrontados com o crescente impacto ambiental do amor alemão pelo café para viagem, a organização ambiental Deutsche Umwelthilfe (DUH) cobra um esforço conjunto para que seja criado um sistema uniforme de reciclagem.

Deutsche Umwelthilfe - Kampagne Becherheld - Mehrweg to go (picture-alliance/dpa/K.-D. Gabbert)

Emissões de CO2 de 83 mil toneladas são geradas todos os anos para a produção de copos descartáveis

Thomas Fischer, chefe de gestão de reciclagem na DUH, afirma que há duas soluções possíveis para reduzir o número de copos descartáveis em circulação. "Precisamos melhorar o apelo de copos reutilizáveis e tornar o uso de copos descartáveis menos atraente", propõe.

"É encorajador ver que algumas empresas já estão oferecendo encher copos térmicos de café, por exemplo. Mas às vezes isso não agrada muito ao consumidor. Os clientes têm que planejar levar seu copo e carregá-lo antes e depois de tomar seu café", explica.

Diferentemente de lanchonetes que simplesmente oferecem recargas, o DUH propõe um "sistema de depósito" linear, em que consumidores de café pagariam um depósito para um copo reutilizável na compra de sua bebida. Quando terminam,eles podem devolver o copo para qualquer empresa participante e receber de volta seu depósito.

"Vários estados estão trabalhando em acordos voluntários com restaurantes e cadeias de cafeterias", ressalta Fischer. Projetos-piloto já estão sendo implementados em cidades como Rosenheim e Hamburgo.

Freiburg, no sul da Alemanha, foi a primeira a implementar o sistema de depósito no mês passado, com o Freiburg Cup. Depois de lançar o projeto em 15 cafeterias e lanchonetes do centro da cidade, com 5 mil copos reutilizáveis, o número de estabelecimentos quase quadruplicou para 56, e mais 10 mil copos foram distribuídos, segundo a companhia de lixo urbano da cidade, ASF.

Resistência de grandes redes

Cada copo pode ser usado e lavado 400 vezes e custa um depósito de um euro. A tampa, contudo, permanece descartável "por razões de higiene". Proprietária da cafeteria Cafe Aspekt, Jamila Saude diz que em questão de semanas o sistema já prova ser um sucesso. "Até agora, cerca de 20% a 30% dos nossos clientes estão usando os copos reutilizáveis", comemora. Um problema que surgiu, porém, é o tamanho do copo, de 300 mililitros.

Copo reutilizável do projeto Freiburg Cup

Freiburg Cup: copo reutilizável visa reduzir o lixo no centro de cidade no sul da Alemanha

"Descobrimos que quantias de cafés maiores ou latte macchiato simplesmente não cabem neles", diz Michael Broglin, diretor-executivo da ASF, acrescentando que problema está sendo resolvido. "É muito cedo para comentar sobre o efeito no lixo na cidade", frisa Broglin, "Mas estou convencido de que este projeto-piloto irá se estabelecer bem, e estamos ansiosos para introduzir os copos em todos os distritos de Freiburg."

Um dos principais obstáculos para um sistema de maior alcance, no entanto, é o número de cadeias de cafeterias na Alemanha que não estão dispostas a usar copos reutilizáveis sem sua marca impressa neles, especialmente nomes mais conhecidos, como Starbucks e McDonalds.

"Mas esses são obstáculos que podemos superar", acredita Fisher. "E a pressão política está aí. Especialmente se for imposta uma taxa adicional para o uso de copos descartáveis."

Juntamente com o sistema de depósito, a DUH propõe dissuadir os consumidores de comprar café em copos descartáveis, através da criação de um custo adicional. "Esta é, portanto, parte da equidade social", diz Fischer. "É injusto que pessoas que estão fazendo esforço para usar copo reutilizável paguem o mesmo preço que alguém que está ajudando a fazer crescer as pilhas de lixo."

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados